18 de outubro de 2009

é só uma questão de Fé

Essa semana - mais precisamente ontem - eu presenciei uma coisa que todo mundo presencia (e até particiupa) sempre. Uma coisa que nunca resolve os problemas de ninguém, só TRAZ problemas. O que é? É quando nós, seres humanos, cometemos o erro de discutir religião. Por que, falando sério, tem coisa mais chata que um monte de gente querendo falar da sua igreja/mesquita/templo ou seja lá o que for ao mesmo tempo?

Porque isso é realmente chato. Digo, muito chato mesmo!

Eu não entendo a obcessão com religião que as pessoas têm. A religião, na maioria das vezes (tô dizendo na maioria das vezes pra ser legal, porque eu acho que é sempre), ultrapassa os limites da fé. As pessoas confundem tudo, caramba!

Eu sempre achei que o mais importante da nossa vida espiritual(e ainda acho) é a fé que a gente tem. Fé na gente, fé no Deus em que a gente acredita, como acredita no que está se passando ao nosso redor.

Mas, como eu havia dito, parece que não é bem assim. Pelo que vejo(tá, eu posso estar errada, mas é o que eu vejo), as pessoas acham que pra você ter fé você tem que ter religião.

E NÃO É BEM ASSIM!

Eu tenho fé e estou satisfeita com a fé que tenho. Eu não tenho nenhuma religião definida, mas me sinto bem porque simplesmente acredito que existe um Deus maior presente em nossa vida o tempo todo! As pessoas não precisam ser de certa religião pra se sentirem assim.


Aí vem um muçulmano(ou é mulçumano?), um judeu, um católico, um evangélico, um budista... Cada um com um pretexto pra arrumar discussão com o outro. Só que ninguém se preocupa em ouvir. Se as pessoas parassem para ouvir e conhecer a religião dos outros não haveria tanto preconceito.

Por que as pessoas têm tanto medo de conhecer a religião do outro? De verdade, são poucas as pessoas que se preocupam em conhecer a religião do outro. Se as pessoas fizessem isso, tenho certeza que viveríamos num mundo muito mais harmonioso. Mas as pessoas insistem nessa ignorância! Mas que droga!

Na última sexta-feira eu estava conversando com a Samara sobre a religião. E na boa, ela é uma pessoa muito legal para se conversar sobre isso. E sabe por quê?
Porque ela é uma pessoa preocupada em conhecer as outras religiões. Ela é evangélica, mas a igreja dela mantém contato com um pessoal judeu. E eles trocam informações sobre o quê acreditam de um jeito super legal. Nessa relação, ninguém quer impor sua religião no outro. Eles só querem é se conhecer. E isso é tão positivo! Porque a Samara sabe um monte de coisa legal sobre o judaísmo e isso não fez com que ela deixasse de ser uma cristão evangélica! E claro, graças a isso, ela não fica cometendo a burrada de se meter em discussões bestas sobre religião!

E na boa, independente de qual seja a sua religião, você acha que o seu Deus, seja ela quem for, é um cara que quer ver você discutindo por aí? Eu acho que não. Eu acho que le quer ver você com a sua fé, seja qual for, tolerando e compreendendo o próximo.

Hoje eu estava assistindo um programa muito legal na Globo (que lamento passarem às 6 e pouca da manhã) sobre as diversidades religiosas. "Sagrado" - esse é o nome do programa - aborda pessoas de diferentes religiões a respeito de um assunto. Elas explicam como a sua religião encara esse assunto. É um programa realmente bastante legal. Quem puder assistir, assista: é maravilhoso! E no fim do programa, só confirmei o que sempre suspeitei: as religiões (pelo menos as principais) não são tão diferentes assim!

Peguemos como exemplo budismo, cristianismo e islamismo, as três principais religiões do mundo atual:

Todas elas têm um Deus maior, que criou o mundo em que vivemos. Também têm um profeta, que veio deixar uma mensagem de amor. Buda, Jesus e Maomé pregam o amor ao próximo, que as pessoas devam aprender a viver harmoniosamente.

Maomé não tem culpa nenhuma se existem uns árabes que distorcem o islã para tacarem bombas por aí. Assim como Jesus Cristo não tem culpa nenhuma do horror que foram as Cruzadas na Idade Média. Eles não estavam lá. Somos nós, seres humanos, que fazemos essas m....!

Então, independente de qual igreja/mesquita/templo você vá, antes de qualquer discussão, ouça mais sobre os outros. Conheça as outras religiões também. Isso não vai fazer com que seu Deus se revolte contra você!!! eu tenho certeza, que, conhecendo outras religiões, você só tem a ganhar! E o seu Deus, o meu Deus, ou qualquer Deus, espera por isso: que você ame, conheça e respeite ao próximo do jeito que ele é.

E, para finalizar, eu quero citar um versículo que a Samara me ensinou. É um versículo que está no livro sagrado judaico e também no cristão(eu não disse que é tudo parecido?). Porém a tradução feita pelos judaicos é um pouquinho diferente. Apesar de tudo, sei que você vai reconhecer.

Então, expressando a minha fé, mesmo eu acreditando em Cristo e usando um versículo judaico, digo:

O SENHOR É MEUS PASTOR E ELE NÃO ME FALTARÁ.

agora a minha tradução para o idioma luma:

O NOSSO SENHOR(seja ele quem for), é o seu, o nosso pastor. Ele guia a mim, a você. Eu posso me sentir guiada por Deus, e o cara ali da esquina por Alá, mas somos guiados, e esses Senhores não nos faltarão nunca. Eles estão sempre conosco. O tempo todo. Seja ele quem você achar que ele é. Ele não quer que você fale só sobre você e a SUA fé. Ele NÃO quer que você seja egoísta e ignorante. Ele quer que você ame, ouça, compreenda e conheça mais sobre o seu próximo. Simples assim. Não complique religião nem fé. Isso é muito simples. Os homens é que não sabem lidar com coisas simples.

2 comentários:

  1. É verdade esse negócio. Eu nem gosto de discutir religião com as pessoas porque cada uma acredita em uma coisa e vai querendo impor as ideias!
    É fogo!

    Adoro-te.

    ResponderExcluir
  2. o., tia., i ai blz? ai nesses asuntos d relijiãu to muinto sofista., Os sofistas se compunham de grupos de mestres que viajavam de cidade em cidade realizando aparições públicas (discursos, etc) para atrair estudantes, de quem cobravam taxas para oferecer-lhes educação. O foco central de seus ensinamentos concentrava-se no logos ou discurso, com foco em estratégias de argumentação. Os mestres sofistas alegavam que podiam "melhorar" seus discípulos, ou, em outras palavras, que a "virtude" seria passível de ser ensinada. Inteindeu? isso é to cobrãdo pra dizer coizas sobre relijiãu., poreim uma coiza t digo d grtis deus é apenas uma palavra., a ., entrei no teu blógli ., pois estava procurãdo uma luma q conhesi na sala d papo dos judeus da uol., se tu é éla emtre eim cõtato cõ eu., meu email é uilai@hotmail.com., poreim se preferir fiques a a võtadi ., valeus? aqueles abrasos., valeus., até., o

    ResponderExcluir

18 de outubro de 2009

é só uma questão de Fé

Essa semana - mais precisamente ontem - eu presenciei uma coisa que todo mundo presencia (e até particiupa) sempre. Uma coisa que nunca resolve os problemas de ninguém, só TRAZ problemas. O que é? É quando nós, seres humanos, cometemos o erro de discutir religião. Por que, falando sério, tem coisa mais chata que um monte de gente querendo falar da sua igreja/mesquita/templo ou seja lá o que for ao mesmo tempo?

Porque isso é realmente chato. Digo, muito chato mesmo!

Eu não entendo a obcessão com religião que as pessoas têm. A religião, na maioria das vezes (tô dizendo na maioria das vezes pra ser legal, porque eu acho que é sempre), ultrapassa os limites da fé. As pessoas confundem tudo, caramba!

Eu sempre achei que o mais importante da nossa vida espiritual(e ainda acho) é a fé que a gente tem. Fé na gente, fé no Deus em que a gente acredita, como acredita no que está se passando ao nosso redor.

Mas, como eu havia dito, parece que não é bem assim. Pelo que vejo(tá, eu posso estar errada, mas é o que eu vejo), as pessoas acham que pra você ter fé você tem que ter religião.

E NÃO É BEM ASSIM!

Eu tenho fé e estou satisfeita com a fé que tenho. Eu não tenho nenhuma religião definida, mas me sinto bem porque simplesmente acredito que existe um Deus maior presente em nossa vida o tempo todo! As pessoas não precisam ser de certa religião pra se sentirem assim.


Aí vem um muçulmano(ou é mulçumano?), um judeu, um católico, um evangélico, um budista... Cada um com um pretexto pra arrumar discussão com o outro. Só que ninguém se preocupa em ouvir. Se as pessoas parassem para ouvir e conhecer a religião dos outros não haveria tanto preconceito.

Por que as pessoas têm tanto medo de conhecer a religião do outro? De verdade, são poucas as pessoas que se preocupam em conhecer a religião do outro. Se as pessoas fizessem isso, tenho certeza que viveríamos num mundo muito mais harmonioso. Mas as pessoas insistem nessa ignorância! Mas que droga!

Na última sexta-feira eu estava conversando com a Samara sobre a religião. E na boa, ela é uma pessoa muito legal para se conversar sobre isso. E sabe por quê?
Porque ela é uma pessoa preocupada em conhecer as outras religiões. Ela é evangélica, mas a igreja dela mantém contato com um pessoal judeu. E eles trocam informações sobre o quê acreditam de um jeito super legal. Nessa relação, ninguém quer impor sua religião no outro. Eles só querem é se conhecer. E isso é tão positivo! Porque a Samara sabe um monte de coisa legal sobre o judaísmo e isso não fez com que ela deixasse de ser uma cristão evangélica! E claro, graças a isso, ela não fica cometendo a burrada de se meter em discussões bestas sobre religião!

E na boa, independente de qual seja a sua religião, você acha que o seu Deus, seja ela quem for, é um cara que quer ver você discutindo por aí? Eu acho que não. Eu acho que le quer ver você com a sua fé, seja qual for, tolerando e compreendendo o próximo.

Hoje eu estava assistindo um programa muito legal na Globo (que lamento passarem às 6 e pouca da manhã) sobre as diversidades religiosas. "Sagrado" - esse é o nome do programa - aborda pessoas de diferentes religiões a respeito de um assunto. Elas explicam como a sua religião encara esse assunto. É um programa realmente bastante legal. Quem puder assistir, assista: é maravilhoso! E no fim do programa, só confirmei o que sempre suspeitei: as religiões (pelo menos as principais) não são tão diferentes assim!

Peguemos como exemplo budismo, cristianismo e islamismo, as três principais religiões do mundo atual:

Todas elas têm um Deus maior, que criou o mundo em que vivemos. Também têm um profeta, que veio deixar uma mensagem de amor. Buda, Jesus e Maomé pregam o amor ao próximo, que as pessoas devam aprender a viver harmoniosamente.

Maomé não tem culpa nenhuma se existem uns árabes que distorcem o islã para tacarem bombas por aí. Assim como Jesus Cristo não tem culpa nenhuma do horror que foram as Cruzadas na Idade Média. Eles não estavam lá. Somos nós, seres humanos, que fazemos essas m....!

Então, independente de qual igreja/mesquita/templo você vá, antes de qualquer discussão, ouça mais sobre os outros. Conheça as outras religiões também. Isso não vai fazer com que seu Deus se revolte contra você!!! eu tenho certeza, que, conhecendo outras religiões, você só tem a ganhar! E o seu Deus, o meu Deus, ou qualquer Deus, espera por isso: que você ame, conheça e respeite ao próximo do jeito que ele é.

E, para finalizar, eu quero citar um versículo que a Samara me ensinou. É um versículo que está no livro sagrado judaico e também no cristão(eu não disse que é tudo parecido?). Porém a tradução feita pelos judaicos é um pouquinho diferente. Apesar de tudo, sei que você vai reconhecer.

Então, expressando a minha fé, mesmo eu acreditando em Cristo e usando um versículo judaico, digo:

O SENHOR É MEUS PASTOR E ELE NÃO ME FALTARÁ.

agora a minha tradução para o idioma luma:

O NOSSO SENHOR(seja ele quem for), é o seu, o nosso pastor. Ele guia a mim, a você. Eu posso me sentir guiada por Deus, e o cara ali da esquina por Alá, mas somos guiados, e esses Senhores não nos faltarão nunca. Eles estão sempre conosco. O tempo todo. Seja ele quem você achar que ele é. Ele não quer que você fale só sobre você e a SUA fé. Ele NÃO quer que você seja egoísta e ignorante. Ele quer que você ame, ouça, compreenda e conheça mais sobre o seu próximo. Simples assim. Não complique religião nem fé. Isso é muito simples. Os homens é que não sabem lidar com coisas simples.

2 comentários:

  1. É verdade esse negócio. Eu nem gosto de discutir religião com as pessoas porque cada uma acredita em uma coisa e vai querendo impor as ideias!
    É fogo!

    Adoro-te.

    ResponderExcluir
  2. o., tia., i ai blz? ai nesses asuntos d relijiãu to muinto sofista., Os sofistas se compunham de grupos de mestres que viajavam de cidade em cidade realizando aparições públicas (discursos, etc) para atrair estudantes, de quem cobravam taxas para oferecer-lhes educação. O foco central de seus ensinamentos concentrava-se no logos ou discurso, com foco em estratégias de argumentação. Os mestres sofistas alegavam que podiam "melhorar" seus discípulos, ou, em outras palavras, que a "virtude" seria passível de ser ensinada. Inteindeu? isso é to cobrãdo pra dizer coizas sobre relijiãu., poreim uma coiza t digo d grtis deus é apenas uma palavra., a ., entrei no teu blógli ., pois estava procurãdo uma luma q conhesi na sala d papo dos judeus da uol., se tu é éla emtre eim cõtato cõ eu., meu email é uilai@hotmail.com., poreim se preferir fiques a a võtadi ., valeus? aqueles abrasos., valeus., até., o

    ResponderExcluir