31 de dezembro de 2012

twenty twelve

Algumas coisas aconteceram esse ano. e me tornar mais objetiva é uma delas. Por isso prometo tentar enrolar pouco nesse posto. é sério.

então;

- Sem saldo positivo ou negativo de peso. Tudo o que eu engordei em  seguida emagreci. Tudo o que emagreci em seguida engordei. Não é tão ruim. Eu poderia ter engordado. E daí minhas roupas nao caberiam mais em mim. e eu não teria o que vestir nem dinheiro pra comprar roupas novas tamanho GG. E teria que pedir camisa aos políticos na campanha eleitoral. Ainda bem que eu nao engordei. Esse ano não vi candidatos distribuindo camisas de partido tamanho GG. Nem G. Nem M ou P.

- Fui convocada pra ser mesária. É, e quando o pessoal do TRE perguntou o que eu fazia da vida e eu disse: "faculdade" e eles: "de que?" e eu: "medicina", eles acharam que eu era nerd e responsável e deveria ser presidente de mesa. É, além de ir no domingo, eu teria que trabalhar no sábado. E como eu não trabalho, só estudo, não tenho declaração pra faltar serviço. Daí tudo o que eu ganhei foram dois VRs de 21,00 um pra cada turno. e como eu sou uma boa filha, levei minha mãe e meu irmão pra comer pizza em um dia e fui lanchar com mamis no shopping em outro. Ah, e comi muito de graça da comida que a escola/seção eleitoral deu. e fiz amigos novos. E ri muito. E foi divertidíssimo. Divertidíssimo mesmo.



- Comecei a ter minhas práticas na faculdade. E é desesperador. Mesmo. Eu achava que ia tirar de letra, mas quando estávamos lá eu e o paciente eu tinha vontade de sair correndo porque eu sentia que os pacientes poderiam me humilhar e dizer o quanto eu era incompetente a qualquer momento. O que ainda bem não aconteceu.

- Meu pai começou a me deixar a sair, é sério. Deixa, tipo, deixar mesmo. Pra voltar no dia seguinte. Eu NUNCA imaginei que isso aconteceria antes de 2030. NUNCA.

- Eu ganhei uma festa surpresa de aniversário. é, eu fui muito, muito, muito imbecil de não ter percebido nada. Eu sei. Mas pelo menos eu escolhi um bom dia pra ser imbecil e desatenta, haha


- pela primeira vez na vida eu ganhei um sorteio na vida. O sorteio das cartas da linda Carol, do Caixa a-a. =)

-Me viciei em mais séries.

- Rá, comecei a ganhar bolsa e ter meu dinheirinho. Tipo, é a melhor coisa do mundo. Mesmo que seja quase nada ainda é a melhor coisa do mundo.

- VI AO VIVO MEU LINDO GATO MASTER, FUTURO MARIDO E PRINCIPE DE GALES HARRY!  ELE VEIO PRO RIO EM MARÇO E, DEPOIS QUE MEU PAI NÃO ME DEIXOU IR ATRÁS DELE, EU ESPEREI MEUS PAIS SAÍREM DE CASA E FUGI ATRÁS DO AMOR DA MINHA VIDA, MINHA PAIXÃO, FUTURO PAI DOS MEUS 6 FILHINHOS, NO ATERRO DO FLAMENGO. SAÍ PEDINDO INFORMAÇÃO A DESCONHECIDOS E DESBRAVANDO AQUELA CIDADE NÃO TÃO MARAVILHOSA PORQUE TAVA BATENDO UNS 35 GRAUS CELSIUS E CHEGUEI LÁ. E O VI DESCENDO DO CARRO MUITO ELEGANTE, E CORRENDO UM MINI-CIRCUITO E DEPOIS JOGANDO RUGBI COM AS CRIANCINHAS CARENTES. LOGO ALI, DO OUTRO LADO DA GRADE QUE SEPARAVA O NOSSO AMOR. MAS TUDO BEM, NÃO É AGORA QUE NÓS VAMOS NOS CONHECER DIREITO E CONCRETIZAR NOSSO RELACIONAMENTO. HÁ UM CRONOGRAMA, UM PLANO. E POR ISSO EU RESISTI A TODAS AS VEZES EM QUE EU QUERIA GRITAR "HARRY, I LOVE YOU! MARRY ME!".

e desculpa ter escrito isso em letra maiuscula, mas foi emocionante demais. e pensar que agora ele está lá no Afeganistão jurado de morte por aqueles talebãs malditos, porque a vó dele acha melhor ele correr risco de vida que casar comigo. Um absurdo, porque eu seria uma excelente esposa, tenho genes de longevidade e não tenho doenças geneticas na familia. e sou linda, legal e vou ser médica. O mundo amaria muito mais a família real britânica se eu fizesse parte dela. Certeza.






17 de novembro de 2012

eu e mamis assistindo supernanny.

eu: "Mãe, acho que quando eu tiver meus filhos eu vou brincar mais com os brinquedos deles do que eles mesmos"

Mamis: "Normal, por que você acha que eu te 'dava' tantos brinquedos?"

passando pela biblioteca

Daí que ontem eu fui na biblioteca de Niterói entregar "A Rainha da Fofoca" e aproveitei pra levar meu material de microbiologia e ficar estudando nas poltronas mais confortáveis do universo.

Primeiro leio um pouco, encontro Nicole, que é aluna do CPII e vestibulanda pra medicina, fico conversando por umas duas horas.  Estudo por 15 minutos, encontro Evelyn, uma amiga, e fico conversando por cerca de uma hora. No fim das contas não dá mais tempo de estudar e eu vou pegar um filme na videoteca. E na hora que eu entro na sala de vídeo pra escolher um filme um cara apoiado no balcão pergunta pro funcionário da biblioteca " E agora, onde vou arrumar alguém em São Paulo?". Ouço e fico quieta. Na mesma hora o cara olha pra mim e diz: "licença, vc tem algum parente em SP?".

Eu levanto a cabeça e respondo: "Tenho um primo de terceiro grau, por quê?" Isso mesmo, Luma, continua assim. Um dia um psicopata vai te oferecer pastilhas de menta envenenadas e vc aceita.

Então o cara vira pra mim e fala: "Preciso da sua ajuda."

Ufa, ainda bem que não era pra carregar drogas, ou um corpo, ou uma criancinha pra ser entregue a traficantes de órgãos. É só que o cara em questão é segurança do biblioteca (mas não estava em serviço no dia, por isso estava sem uniforme) e maratonista e vai correr na São Silvestre (é óbvio que eu não disse pra ele que eu odeio a São Silvestre, é um esporte chato que rouba minha Sessão da Tarde. Quero dizer, é o esporte dele, ao contrário de mim o cara tá praticando algum.) e precisa de alguém pra buscar o kit de participante dois dias antes da prova, e ele só vai pra Sampa  no dia 31 mesmo. Daí ele precisa encontrar alguém que busque o kit. Peguei o telefone do maratonista e falei que ia entrar em contato com Bruno, meu primo que mora em Mogi. Viu, primo, vc pode pegar o kit do candidato daqui de Nikity City e mandar pro Sedex ou entregar pra ele no dia, sei lá? Quero dizer, vai que ele ganha e daí a gente aparece no Fantástico depois? E daí vai ser mais uma coisa pro Brasil lembrar quando eu for linda, médica sem fronteira e princesa!

E por isso esse ano, pela primeira vez em 20 anos, eu quero assistir a São Silvestre.

7 de novembro de 2012


São quase meio dia. E minha vida é uma droga.

Ontem eu cheguei da faculdade 21hs porque o ônibus demorou meia hora pra chegar no ponto e o trânsito estava uma desgraça. Tomei banho, comi e mal pude conferir meus e-mails porque minha mãe tava usando meu computador pra estudar. Aqui em casa a gente só tinha um computador, mas no meio do ano, quando eu comecei a ganhar bolsa na faculdade, comprei meu notebook, um roteador e coloquei wifi aqui em casa. 

Daí o computador grande quebrou e meu pai mandou pro conserto sem me falar nada. E, se eu não tomasse a atitude de ir lá, pagar o conserto e buscar o cpu ninguém o faria. Mas o pc grande é velho e lento. Daí que enquanto jantava eu liguei o computador grande, abrindo um site de cada vez pra internet não travar. 
Escovei meus dentes e fui dormir umas dez e pouca.

Acordei 5:30 da manhã porque hoje eu não tinha aula de manhã. Tomei banho, tomei café, mandei um email pra professora de libras e saí de casa 6:30. Eu tinha dentista do outro lado da cidade, ia extrair um dos cisos (ou sisos? Tanto faz). Daí cheguei lá no centro de São Gonçalo 7:30. Tinha umas 15 pessoas na minha frente. Acontece que pessoa pobre que sou não tô com grana pra arrancar essas 4 desgracinhas em consultório particular. Quero dizer, mal me sobra dinheiro pra tirar xerox, afinal eu pago internet, formatura, fortuna de passagem de ônibus, meus lanchinhos de levar ´pra faculdade que eu compro no supermercado, recarga de celular. Fui ver a hora e percebi que tinha esquecido o celular em casa. Tudo bem, era só buscar depois do dentista e daí ir para a faculdade. Como eu era paciente de cirurgia, fui a primeira a ser atendida, às 8:00. O dentista falou que era melhor eu ir pra faculdade só sexta. É, ele com certeza não estudou na ufrj, não participou de liga, monitoria nem teve professores diabólicos, é claro. Mas se eu quisesse ir ( eu expliquei  que tinha aula pratica, que fazia medicina – é incrível o poder que isso exerce nas pessoas, do nada elas passam a gostar de vc) pra ficar a manhã inteira com muito gelo na boca e carregar gaze, além de tomar muito dipirona. Voltei pra casa. Quando eu chego em casa, já 9:30, encontro papai, que me diz: “ Sua mãe viu que vc esqueceu o celular e foi levar pra você. Lá no hospital.”. O QUE A MINHA MÃE TEM NA CABEÇA?  Ela atravessou o município inteiro pra me levar um celular no hospital? Quem vê isso pensa até que minha mãe é desocupada. Mas ela tem dois empregos e faz faculdade. É que excepcionalmente hj de manhã ela não trabalhou. Daí eu fiquei em casa, com minha boca sangrando horrores, além de ter acabado de gastar 30 lindos reais em remédios.  Minha mae chegou quase 11hs. Eu perguntei a minha mae se ela estava louca de ter feito isso e ela disse que pensou que eu poderia estar dentro de uma sala com cientistas malucos me torturando com alicates então ela me salvaria. Cara, minha mae é louca.

Continuei passando mal. Falei pra minha mae que não iria mais pra faculdade, já que minha gengiva tá liberando mais sangue que o Hemorio. Minha mãe saiu de casa e eu parei pra pensar. Eu tenho liga de pediatria meio dia. Eu tenho aula prática de microbiologia 3hs. E eu ia voltar de carona com um amigo meu da escola que tbm tá no fundão. Tipo, ele deixou de dar carona pra outras pessoas pra guardar minha vaga. E agr que ele tá começando a ir de carro. Tipo assim, se eu não fosse ele ficaria puto (com td a razão) e caronas nunca mais. Oh lord!

Mudei de ideia, troquei o short por uma calça comprida e liguei pro meu pai avisando que eu ia pra faculdade. Meu pai e eu nos empolgamos e logo depois a Claro me mandou uma msg dizendo que eu gastei 5,00 numa ligação de pouco mais de 2 minutos. Pai, o senhor PRECISA migrar pra Claro.

5 reais. O preço de um Magnum, que eu nunca comi na vida porque 5 reais é dinheiro demais. Comecei a gritar e me joguei no chão chorando, já que tava sozinha em casa mesmo. Antonia, a faxineira do prédio, bateu na porta da sala e perguntou se eu tava bem. É incrível a obcessão que ela tem em limpar o quinto andar, onde moro. Abri a porta e falei que mina vida era uma droga e todos os pbms que eu tinha : “todo o meu sangue estava indo embora, eu precisava estar na faculdade em 40 minutos ( já era 11:20), já tinha falta na liga, poderia perder carona para todo o sempre.”

Além disso, eu tenho 50 mil coisas pra fazer e toda semana eu termino com um déficit absurdo de rendimento. Ah, e com muitas horas perdidas em transito e ônibus que demoram a chegar.

Saí de casa e fui pro ponto de ônibus. Deu 11:40 e não passou nenhum ônibus pro Rio. Nenhum. Voltei pra casa e mandei uma mensagem pro meu colega da carona, avisando que eu não vou, mas vou pagar msm assim, porque eu tenho algm senso.

E agr estou em casa, com metade do meu volume sanguíneo normal, desabafando no blog porque não tenho dinheiro nem tempo pra psicólogo.

2 de novembro de 2012

É mt emoção

Começou quando mamãe teve que fazer um trabalho pra faculdade: entrevistar um funcionário de uma escola tradicional e comentar sobre a instituição e sua importância histórica. Mamãe liga pra tia Giovana e fala: "Depois me manda uns dados sobre o Carlos Brandão(escola onde mamãe estudou e minha tia trabalha) pra eu fazer o trabalho, ok?"

Alguns dias depois, minha prima Livia, filha de tia Giovana manda os dados pra minha mãe pelo chat do facebook. Tia, POR QUE vc é assim? Estão te dando substâncias alucinógenas, estão? Porque minha tia inventou perguntas e respostas (como se mamis tivesse perguntando e ela respondendo e talz) prontas, sem nem perguntar antes a mamãe o que precisava:


Estar emocionada e ainda falar de vovó. Falar de faculdade da vida. Tia, a senhora definitivamente não tem jeito. Logo a senhora que é amada pelos alunos e eleita a melhor professora sempre porque é a que mais disponibiliza aulas vagas, haha.



27 de outubro de 2012

Não favorável

Então, hj eu tinha mt coisa pra estudar e hj e amanhã trabalho nas eleições mas precisei tirar 20 minutinhos pra escrever algo. Não sobre mim, ficção. Faz tempo que não escrevo, tô com saudade. Daí saiu isso. Esse pequeno conto é uma mistura de várias situações do meu dia-a-dia, obvio que nem todas aconteceram, mas a maioria já. Mas não juntas, ou eu teria cometido suicídio.


O celular despertou. 5:30. Talvez só mais um soninho... E daí ao invés de apertar “soneca” eu aperto “silenciar”. E caio no sono profundo. E o sonho que eu estava tendo continua. Eu estou andando a cavalo numa plantação de girassóis. É, nada a ver. Cavalos e girassóis. Eu devo estar sonhando. É como se o meu “eu” do sonho estivesse conectado com o meu “eu” do mundo real. Abro os olhos e olho pro celular. 5:58! DROGA! Eu pulo da cama gritando, falando palavrões e batendo a porta do quarto. Passo na área de serviço e pego minha toalha estendida no varal, na volta passo pela cozinha e tomo meu omeprazol ao mesmo tempo em que coloco pó de café e água na cafeteira. É um ciclo. Tomar café pra ficar acordada e tomar omeprazol pra amenizar a gastrite. Vou então para o banheiro e entro debaixo do chuveiro já com a escova de dentes coberta de pasta. Não creio: a água desce fria. Olho pra cima e o chuveiro marca inverno. “Só faltava essa porcaria quebrar”. Tomo banho frio revoltada e sinto que meu couro cabeludo continua oleoso, porque em um banho frio não há paciência ou coragem pra usar o xampu direito.

Saio do banho me enxugando loucamente ao mesmo tempo em que deixo um rastro de água pela casa. Coloco uma regata e uma calça jeans. 6:20. Ligo pra Bia e digo que ela pode ir sem mim pra aula, que eu vou chegar atrasada. O que é péssimo, porque perder carona é como perder comida. Passo na cozinha e coloco o café na xícara com um pouco de adoçante. Isso nunca vai funcionar, o médico foi bem específico: 1 hora de intervalo entre o remédio e o café da manhã. Eu só dei pouco mais de 20 minutos. Vou tomar o café e... ai! Quente, quente, queimei a língua. Cuspo no chão porque a essa altura eu já levei o café pra sala porque deixei a sapatilha ao lado da porta no dia anterior. Desisto!

Limpo o chão, penteio  o cabelo e saio de casa cheia de fome. Jogo a mochila nas costas e desço a escadaria do prédio, porque o elevador não tá no meu andar e eu tenho preguiça de esperar. Desço a rua correndo pra ver o ônibus passar de longe. Tinha lugar pra ir sentada. Ódio.

Continuo andando e fico 10 minutos esperando o próximo ônibus. Ele chega e eu vou em pé. Nenhuma alma se oferece pra carregar minha mochila. Que só tem um livro de 1500 páginas pra entregar na biblioteca da faculdade. No meio do caminho o transito para e eu vejo um carro igual ao de Bia todo esmagado. Ai. Meu. Deus.
Será que eu ter perdido a hora foi um plano de Deus pra eu ficar viva? Mas daí eu olho melhor pro carro e vejo que ele tem placa, que não sei porque diabos ficou intacta, de Curitiba. O transito está parado e eu me aborreço mesmo. Começo a chorar. A senhora na minha frente olha pra mim e faz cara de preocupada. E então eu começo:

”Eu perdi a hora, perdi minha carona, queimei minha língua com café, estou com dor no estomago, essa calça está apertada porque eu engordei 3 kg no mês passado depois que meu namorado terminou comigo e pra piorar semana fiz um canal dentário no cartão de crédito que eu não sei como vou fazer pra pagar. Minha vida é uma droga!”
A mulher continua olhando pra mim e diz: “ Você está reclamando do quê? Eu moro em Maricá e trabalho em Paquetá, minha filha de 16 anos está grávida e a minha mãe tem Alzheimer. Você tem noção do quanto é longe daqui até Paquetá? Eu peguei esse ônibus 5:30 e só vou chegar no trabalho 9:00! E minha mãe ainda acha que a minha filha sou eu!”

“Desculpa,” falo soluçando enquanto todo mundo no ônibus olha pra nós duas. Até os com fone de ouvido. Imagino que tenham colocado o fone no mudo só pra nos ouvir melhor. “Não quis pertubar. “
Um menino de uns 13 anos com uniforme de escola olha pra mim e oferece um Trakinas. “Toma moça, ouvi que você tava com fome.” Ao que eu respondo: “obrigada, posso pegar 2?” E ele assente que sim. Como o chocolate e fico mais feliz um pouquinho. Mas agora que há glicose em meu sistema nervoso central eu tomo vergonha na cara e desço do ônibus pra pegar o próximo, porque não quero ninguém me olhando como se eu fosse maluca. 

Então eu paro numa padaria compro uma Fanta uva superfaturada e sento no banco do ponto de ônibus. Paro, penso, e pego um coletivo de volta pra casa. Onde durmo até meio-dia. Sem sonhos.

14 de outubro de 2012

Meme - Leiam até o fim e participem

Recebi uma indicação (é assim que chama?) de meme de Carol, do Caixa a-a
As regras são:

- Escrever onze coisas aleatórias sobre você.
- Responder as onze perguntas que a pessoa lhe mandou e criar onze novas perguntas para as pessoas para quem irá mandar.
- Escolher onze pessoas para repassar esse meme e colocar os links de seus respectivos blogs.
- Avisar os blogs escolhidos.
- Não retorne esse meme para quem te enviou.
- Postar as regras.


Coisas aleatórias:

1 - Quando eu digo que quero ser princesa eu estou falando sério. Tão sério que um dos meus maiores medos é conhecer o homem da minha vida e ele não ser Harry - embora o mais provavel e racional para eu ter medo seria não existir um homem da minha vida. Eu vivo num país tropical onde fetos XX têm maior chance de chegar ao fim da gestação. Existem mais homens gays que mulheres gays. Ou seja, realmente falta homem. Eu posso ser a futura titia. Então eu casar com meu príncipe lindo vai até melhorar as dinâmicas populacionais para relacionamentos no Brasil.

2 - Eu sempre quis participar do Big Brother. E eu nem vejo mais Big Brother. Mas eu queria que mais pessoas me conhecessem e gostassem de mim.

3 - No ano passado, quando eu perdi 10 kg, eu deixei de ser tão cult e passei a usar maquiagem. E eu gosto mais de mim assim.

4 - Eu fico ensaiando meus discursos de quando eu for famosa. Em português e em inglês. E fico imaginando como vai ser meu ensaio fotográfico quando eu for capa da Caras.

5 - Eu amo ver Sessão da Tarde, principalmente filmes típicos, como Matilda, A Lagoa Azul, Um príncipe em Minha Vida, 10 coisas que eu odeio em você, Correndo Atrás etc. Mesmo quando o filme é ruim. Dá aquela sensação de que eu ainda sou criança e que tenho a tarde livre pra fazer o quê quiser. Mas quando eu consigo assistir, geralmente é só impressão.

6 - Eu tenho muito medo de crescer. Daqui a pouco eu vou fazer 20 anos e vai começar a ficar estranho assistir desenho animado, ter coisinhas de personagens, e brincar. Isso me preocupa. Eu evito fazer tudo o que faz de mim mais adulta, como beber, ficar com alguém ou usar esmalte escuro. Estou sendo empurrada pra fase adulta contra a minha vontade. Eu não fui uma criança muito criança, fiquei criança depois de grande e gostei.

7 - Eu queria saber cantar. E desenhar. E ser boa em algum esporte.

8 - Eu me arrependo de não ter tirado mais fotos durante a minha adolescência.

9 - eu gostava mais do orkut do que gosto do facebook. Mas se tá geral no fb, né...

10 - Eu sou escorpiniana. Mas não acredito em signos já tem um bom tempo. Nada daquilo acontece.

11 - Eu me considero uma abençoada, uma escolhida. Eu estou no caminho de realizar meu maior sonho( ser médica sem fronteira), conheci minha ídola internacional ao vivo (Meg Cabot), eu consegui fugir de casa pra ver o  principe Harry ao vivo jogando rúgbi no aterro do Flamengo (e meu pai não brigou comigo depois), tenho uma família pela qual eu nutro o maior amor do mundo, não tenho predisposição genética a diabetes ou hipertensão arterial, meu nariz é pequeno, eu vejo o Cristo Redentor todos os dias, as pessoas vão com a minha cara (eu acho). Ah, e meu nome é exclusivo - não existe nenhuma outra Luma Peril no mundo todo.

Perguntas:


1-  Qual é o seu animal favorito?

Sempre quis ter um cachorro grande e brincalhão, que nem o Marley. Mas também acho golfinhos uma graça e gostaria de nadar com eles um dia.

2- Qual é o idioma que você mais tem vontade de aprender?

Eu gosto muito de inglês, mas daí eu já arranho um cado, então não conta. Me divido entra vários idiomas, cada hora quero saber um. Mas agora estou aprendendo LIBRAS ( lingua brasileira de sinais - a dos surdos) e estou apaixonada. É muito legal, a expressão corporal tem que ser fantástica, é como ter aula de idioma e teatro ao mesmo tempo.

3- Existe algum lugar no mundo para onde você gostaria de ir nesse exato minuto? Qual?

Eu gostaria de ter muito dinheiro e congelar o tempo pra montar minha mochila e sair sem rumo pelo mundo, parando para pernoitar onde me desse na telha.

4- Qual é o sabor de sorvete que você mais gosta?

Eu AMO sorvete. Não só pelo sabor, mas porque eu me sinto uma criança de novo. Me amarro em flocos e milho verde.

5- O que pensa sobre adotar filhos?

Acho super legal e quero adotar pelo menos uns dois. Daí eu tenho mais uns 3 biológicos e fico com 5. Um time de basquete. Se eu adotar mais um é um time de vôlei. Daria até pra eles fazerem um campeonato de volei de praia no fim de semana.

6- Você votaria em um candidato que legalizaria o consumo de drogas? Por que?

Não. Acho que o Brasil já tem problemas demais na saúde pública, que não está preparada para ter mais viciados. Isso é muito polêmico. Acho que eu deveria pesquisar mais sobre como foi a legalização nos outros países e como eles estavam antes e depois. Talvez eu mude minha opinião do mesmo jeito que mudei sobre aborto e eutanasia.

7- Na sua opinião, POR QUE PASSA DOMINGÃO DO FAUSTÃO ATÉ HOJE?

Porque ele tá chantageando alguém na Globo. Já até pagaram a redução de intestino dele. Zoeira. Porque ainda tem pessoas que assistem, mesmo reclamando, igual Zorra Total. É horrível, mas enquanto as pessoas continuarem assistindo eles não vão mudar.

8- Você consegue dobrar a língua? Se sim, como faz uma proeza dessa, Cristo?

Consigo! Antes eu não conseguia, mas dai descobri que era genetico e se meus pais e meu irmão sabiam fazer, das duas uma: eu era adotada ou então não tinha treinado o suficiente. Fiquei dias treinando e consegui!

9- Tem uma banda favorita? Qual?

Não. É, eu sei, todo mundo tem uma. Menos eu.

10- O que você queria ser quando crescesse, quando era criança?

miss Brasil. Era o meu maior sonho, achava lindo demais.

11- Se pudesse mandar um recado ao Luciano Huck, o que diria?

Que eu sou uma pessoa muito legal, ia contar a historia da minha vida e depois pedir uma casa. Acho que eu ganhava, hehe. ou então pedia pra reformar a brasília dos meus tios, que vendem salgadinhos a la "é o carro do salgado passando na sua rua, salgadinho fresquinho, gostosinho...."

Perguntas para responder:

1) como você sonha estar em 2030?
2) qual a história VERIDICA mais bonita que você conhece?
3) qual seu programa de tv preferido? Por quê?
4) qual personagem mais parece com você?
5)Qual seria sua viagem ideal?
6) qual sua comida preferida? Se vc sabe cozinhar, quer nos passar a receita?
7) uma coisa que te faz feliz
8) uma coisa que te deixa triste (não vale falsidade ou corrupção, já tá batido isso)
9) qual conselho mais precioso que você já recebeu?
10) qual conselho você vai dar pros seus filhos?
11) como vc chegou no meu blog?


Daí que eu mudei as regras, porque tô muito afastada da blogosfera. É o seguinte, como maioria dos meus leitores, é sabido, não tem blog, quero que vcs respondam a duas perguntas nos comentarios. O primeiro a comentar responde a pergunta 1 e mais alguma que queira. O segundo a pergunta 2 e mais uma de sua preferencia, e daí vai.

Então, COMENTEM. Ou eu posso entrar em depressão, ficar louca e destruir a sua casa.



tranquilo?

12 de outubro de 2012

Como tudo começou

Mamãe filosofando pela manhã:

" Teco, tenho que te contar a verdadeira história sobre você.
Eu estava indo para o Rio de barca quando eu ouvi um choro de bebê..."

 - Moisés, mãe? Você está plagiando a bíblia?
- Deixa eu terminar?

"Daí eu resolvi me aproximar da janela e vi um bebê agarrado a um tronco de árvore, chorando muito. E atrás dele tinha isso...
( daí mamãe desenhou na toalha de mesa do café da manhã)



Sorte que eu estava com um guarda-chuva grande, daqueles de ganchinho:


Daí eu joguei o guarda chuva na baía de Guanabara e resgatei aquele bebê das águas espumosas. Ele ainda estava com o cordão umbilical, que estava preso ao tronco..."

- Tá, mãe, Teco então nasceu de um tronco de madeira.
Enquanto meu irmão ri, minha mãe despreza minha afirmação.

"Então eu cortei o cordão umbilical com o dente, porque não havia faca ou tesoura. Joguei o bebê dentro da bolsa, porque ele estava com frio e eu estava de camiseta de alcinha. Depois eu me informei sobre como registrar aquele bebê no meu nome e me disseram que eu deveria procurar um cartório no interior e dizer que eu tive meu bebê em casa. Então eu fui em Magé e a mulher do cartório fez a certidão de Teco à mão..."

- Não existia maquina de datilografia em 1997?

" Então ela me perguntou onde eu morava e eu consegui colocar Niterói como local de nascimento, para que ficasse igual à sua. Depois eu mandei datilografar a certidão."

Meu irmão olha pra mamãe:
- E Luma, nasceu de você?

" Claro, Luma nasceu da minha barriga, em Niterói, como vocês sabem. Foi fruto de uma inseminação artificial..."

Inseminação artificial? Em 1992?

" Foi um procedimento realizado em Londres. É por isso que Luma não pode casar com Harry. Porque eu só fui barriga de aluguel para Charles e Diana. Mas fugi com meu bebê na barriga. Claro que Diana me procurou, ofereceu boa parte da herança*, mas eu não podia deixar você ir. Eu sei que é um baque, Luma, mas eu precisava te contar que vc e Harry são irmãos"

Alguma colega de trabalho está colocando drogas na marmita da minha mãe?

- Mãe, e como você explica eu ter olhos escuros e cabelo cacheado E castanho?
- Mutações ocorreram durante o procedimento, minha filha.


*cada filho de Diana recebe 30 milhoes quando faz 30 anos. Se houvesse mais um filho, seria 20 milhões pra cada.

15 de setembro de 2012

biblioteca

 


Quando eu era pequena, meu filme preferido era Matilda. Matilda era uma fofa, e inteligentíssima. Eu queria ser inteligente como Matilda. Por isso, quando eu descobri que Niteroi tinha uma biblioteca pública no centro, eu cismei que minha mãe tinha que me levar lá. Pra eu ler os livros e ser inteligente como Matilda.


Só que minha mãe me enrolava sempre, dizia que dia de semana eu tinha que ir pra escola, não ia dar tempo da gente ir lá. E que fim de semana não abria. Não sei se era verdade. Não acho que minha mãe era uma mãe má, que ignora a educação da filha, como a mãe de
Matilda era, mas há dez, quinze anos atrás, as coisas não eram tão simples a ponto das pessoas entrarem na internet e em dez segundos ficarem sabendo que dia funciona uma instituição. Mamãe também era dona de casa, não estudava ou trabalhava e não tinha noção do quanto eu queria ir na biblioteca.

Os anos passaram, eu fiquei grande (quero dizer, adulta, porque ainda sou meio baixinha) e quando passei a ter idade pra sair sozinha e estudar em outra cidade ( lá pelos meus 15 anos) a biblioteca entrou em reforma e eu não pude frequentar. o tempo passou e no ano passado a Biblioteca pública de Niterói foi reinaugurada. Mas como ano passado eu vivia enrolada, não fui lá. Esse ano, durante a greve, tomei vergonha na cara e fui conhecer a Biblioteca.

Fiquei encantada. e não foi com a arquitetura, o acervo, os computadores, tudo do mais legal possível. Foi em ver que a biblioteca estava cheia. Porque desde que eu comecei a frequentar a BPN, sempre que vou lá ela está cheia. Cheia de pessoas dos mais diferentes tipos. Alunos de escolas particulares com mensalidades de mil reais estudando em uma mesa e alunos de escola pública estudando na mesa ao lado. De pessoas pobres sentadas ao lado das pessoas ricas pra ler as revistas da semana nas poltronas do salão principal. De pais levando os filhos para a sala de leitura infantil. De adolescentes usando os computadores pra falar no facebook e pessoas com ar cult assistindo filmes na biblioteca. É lindo. Dá vontade de chorar de emoção.

Foi tão legal que levei minha mãe lá e voilá, ela também amou. E, assim, como eu, também amou o fato de estar cheia.

Então, fica a dica: conheçam e usurfruam das bibliotecas públicas. eu tinha uma lista enorme de livros que queria ler mas não tinha dinheiro pra comprar. e agr estou liquidando esta lista. Só essa semana já terminei de ler A Garota Americana e Quase Pronta e agr vou ler Desculpe se te chamo Amor e Fazendo meu Filme. Porque lá tem livros pra todos os gostos.

fachada da BPN


 
 

13 de setembro de 2012

Hoje esse bloguinho modesto que vos fala completa três aninhos de vida! Que gracinha não? Meu bebê está saindo da primeira infância e seu cerebelo está formado, não é lindo?

E essa semana ganhei um suuuuuper presente. Como vcs sabem, eu não deixo passar uma promoção nunca. Sempre que possível, participo de tudo. E pela primeira vez na vida eu GANHEI.  E não foi qualquer promoção não. Foi a promoção do Caixa a-a, blog da fofíssima Carol Santana, que eu conheci há quase três anos atrás, quando escrevia meus textinhos e publicava no Recanto das Letras. Carol, que na época usava um pseudônimo, também postava seus textos lá e uma acompanhava os textos da outra. Daí Carol descobriu meu blog e depois fez um pra ela também. e não é só porque eu ganhei não, mas o blog de Carol é o primeiro que visito sempre que faço login no blogger, hehe. ( não precisa ter ciúme, tbm vou mt no blog de Fran, minha xará Luma etc).Afinal, é um blog que eu acompanho desde que nasceu.

E cara, o prêmio foi suuuper legal. Sabe por quê? Porque é exclusivo! Hahahaha. Sim, Carol vai colocar as cartas que escreve ( feitas à mão, toma invejosos!) no correio direto aqui pra minha humilde residência. E daí, quando ela for uma escritora muito famosa, tipo a Meg Cabot e a J.K. Rowling, eu vou tirar cópias autenticadas ( os originais sempre serão meus) e fazer fortuna pela internet. eu sou um gênio, não? E não pense que acabou não. Porque quando Carol publicar o livro dela, quem vai ganhar um exemplar? A Luminha aqui, hehehehehe.

Então, é isso. A gente se fala galera. A greve acabou e eu tenho provas pra reprovar ( oh, Lord! quando meus professores vão perceber que aprovação automática é uma ideia brilhante?)

beijinhos.

6 de setembro de 2012

Community

A greve acabou. Semana passada os professores perceberam que estávamos virando um bando de vagabundos e mandou voltar. Mas essa greve foi boa. É triste, pois acho que nunca mais terei "férias" de três meses até a aposentadoria. Entretanto, assisti zilhões de séries, li alguns livros e infelizmente ganhei dois quilos. Tudo bem, acontece.

das coisas sem-graça da vida que fiz nessa greve o que mais me surpreendeu foi conhecer a série Community. Eu nunca tinha ouvido falar, mas Vivi me sugeriu e eu quis assistir, tava procurando novos hobbys enquanto as novas temporadas do que eu já assistia não começavam.

Community se passa numa faculdade comunitária. Pelo que eu entendi, uma faculdade comunitária é aquele tipo de faculdade que todo mundo fala mal e que só é frequentada por quem não foi aceito em lugar nenhum. Tipo Universo. (sem preconceito, aluninhos da Universo. Eu acredito que muitos bons profissionais se formaram lá. Faculdade é algo bem auto-didata. Sem contar que acredito que existam bons professores, boas aulas sim. Mas a reputação dessa instituição não é das melhores, vcs sabem disso).

A universidade é questão é Greendale. A história é sobre um grupo de alunos da aula de Espanhol que resolvem formar um grupo de estudos. Tudo é ideia de Jeff Winger, um advogado que perdeu seu registro quando descobriram que seu diploma era falso e agora se vê obrigado a fazer faculdade para recuperar seu antigo status. Jeff cria esse grupo com o intuito de se aproximar de Britta, uma típica estraga-prazeres que só sabe reclamar (sabe como é: vegetariana, pacifista, que acha que vai consertar o mundo ao mesmo tempo que é muitíssimo mal-humorada). Ao grupo de estudos unem-se: Abed - menino meio-autista, fissurado por filmes, árabe- , Shirley - dona de casa recém divorciada que vê na faculdade a chance de recomeçar-, Pierce - um sessentão muito inconveniente que estuda pra deixar a mente ativa-, Annie - menina super-certinha que perdeu a bolsa numa grande universidade devido seu vício em pílulas-, e Troy - colega de escola de Annie, jogava futebol na escola e ainda não sabe lidar com a perda instantãne a da popularidade.

Os primeiros episódios não são muito bons, a história vai meio se arrastando. Entretanto, pelos meados da primeira temporada a hitória começa a ser apresentada sob o ponto  de vista de Abed. Abed é obcecado por filmes de modo que em um episódio o enredo se apresenta como num filme da máfia, em outro como num filme de guerra, e por aí vai. imaginação não falta. é muito engraçado porque Abed vê nas situações do dia-a-dia cenas típicas de filmes, coisas que eu também faço.



então, fica a dica.

beijos

p.s.: é o primeiro post feito do meu notebook, isso não é lindo?

29 de agosto de 2012

Janet Evanovich






Lembram que eu falei sobre um livro que tinha virado filme e eu tava muito a fim de ler? Pois então, o li há alguns dias e AMEI!

"Um dinheiro nada fácil" é a primeira aventura de uma série de chick-lits (como não amar?) escrita por Janet Evanovich. Até algumas semanas atrás eu nunca tinha ouvido falar de Janet. É, vergonhoso.

Mas vi o livro na biblioteca de Niteroi, achei a sinopse interessante e fiquei com vontade de ler, principalmente quando descobri que a história foi adaptada para o cinema.

O livro conta a história de Stephanie Plum, divorciada, desempregada e endividada. Muito endividada. Adoro personagens endividadas. Stephanie está mais que falida procurando um trabalho, quando aparece uma chance. Tornar-se caçadora de recompensas. Acontece que Stephanie é super atrapalhada, não sabe atirar, não sabe dar uma de espiã, nada disso. Traduzindo, tão pateta quanto eu. E sua primeira missão é capturar Joe Morelli, ex-policial com quem Stephanie teve um affair ( sei que essa palavra é coisa de tv fama, mas não achei substantivo melhor) durante o Ensino Médio. Acontece que Morelli é mestre no quesito sagacidade. Por isso, se capturá-lo, Stephanie recebe 10 mil dólares. Ou seja, o que não falta é motivo pra ela ir atrás dele.

O livro é ótimo, bastante engraçado, conta com personagens maravilhosos. Achei diferente que o melhor amigo de Stephanie não era uma amiga encalhada louca ou dona de casa louca como na maioria das historias, mas sim um policial casado com a prima dele. Ficou muito legal. Além disso, como o livro é do começo dos anos 90, é legal ver as pessoas se virando sem celular, computador etc.

Não é à toa que foi adaptado para um longa. "Como agarrar meu ex-namorado" - pior tradução de título que já vi! - é um excelente filme que eu achei bastante fiel ao livro. Deixaram as melhores partes, o que já é uma vitória quando se trata de adaptação. E o filme é legal mesmo, tava tudo do jeito que eu tinha imaginado. E olha que eu assisti logo depois de ler!






As aventuras de Stephanie Plum consistem de 18 livros. Sim, 18! Infelizmente, por enquanto, só os 4 primeiros foram publicados aqui. Estou louca para lê-los, mas são meio dificinhos de achar. O segundo volume da série eu só achei pra comprar no site do Extra e do Ponto Frio, e achei em um sebo de Botafogo no Estante Virtual. Assim que possível vou comprar o dois, e daí fazer o possível pra comprar o três e por aí vai... Tá difícil de achar pra achar disponível em downloads ilegais.


Aproveitando, quando devolvi "Um dinheiro nada fácil", peguei outro livro de Janet, "Garota Metro Sexy". Também é excelente!! Por sorte, o segundo volume desse tem na biblioteca e eu vou poder ler 0800, hehehe












beijinhos, see ya!

22 de agosto de 2012

La Familia

Sabe, eu creio que todas as famílias são especiais. Algumas são fofas, outras confusas mas... nunca, nunca, nenhuma será tão sem noção quanto a minha. Sinto que Deus me enviou pra cá pra tentar colocar um cadinho de juízo na cabecinha de cada um. Quero dizer, tenho uma bisavó que parece a Dercy Gonçalves, um avó que parece seu Xalita, um pai que parece Michael Kyle e uma mãe que é idêntica a Rochelle. Meu irmão é mais interesseiro que Cory, irmão de Raven, e minha tia tem uma imaginação.... parece até a mãe do Barney, de How I met yout Mother! (sim, nessa greve eu tenho assistido a mts séries).

E quando a gente tem uma família enorme que conta com uma tia solteirona, uma tia reclamona, uma tia imaginativa, uma mãe pobre-soberba, um pai que viaja total, um avô apaixonado por sexo, uma bisa que adora falar sacanagem, um tio brincalhão, e nenhum deles tem dinheiro, a coisa começa a partir pro campo da loucura. E eis eu, uma criatura, linda, iluminada, ajuízada.

Daí resolvi falar de alguns personagens de minha família. Sem problemas, só quem lê meu blog é minha mãe, e de vez em quando.

Mamãe:
A encarnação da Rochelle. Sim, ela vai ficar puta, digo, revoltada quando ler isso. Mas mamãe é do tipo que adora ostentar, é como pobre-soberba. Por exemplo, ela não admite encontrar pessoas que estudaram com ela sem estar com as unhas impecáveis. Quero dizer, nem a Ana Hickman fica 24 hs com as unhas impecáveis! Mas pra mamãe ter unhas pintadas com base é sinal de estar falida. É, não faz sentido. Se eu coloco um tipo de roupa pra sair ela já fala logo: " está louca? você está indo na padaria? Mas que sem graça!".
Não culpo mamãe, ela puxou a vovó. Segundo mamãe, uma vez elas estavam no Supermercado quando minha avó viu uma conhecida da cidade dela de longe. Jogou no carrinho muitas embalagens de leite condensado, Coca-Cola, sorvete. Mamãe ficou com uma interrogação na cabeça. Vovó passou pela mulher, cumprimentou, e quando a conhecida saiu do mercado jogou tudo de volta nas prateleiras.

Mamãe também faz o tempo render absurdamente. Mais que o pai do Chris. Ela tem dois empregos, faz faculdade e cuida da casa.

Papai:
Papai é doente. Hipocondríaco toda a vida, toma zilhões de remédios desnecessariamente. Por exemplo, todos os dias ao acordar ele toma uma neosaldina antes que sinta dor de cabeça. Não, ele não me escuta quando falo sobre medicamentos e como eles viciam.
Papai também tem um complexo de cercar todas as possibilidades. Por exemplo, todos os dias quando saio de casa ele me diz pra sentar no meio do onibus, nem na frente, nem no fundo. Afinal, se o onibus bater de frente ou na traseira estou a salvo. Ontem eu brinquei com ele: "é pai, mas e se for num cruzamento..." Ele me olhou e disse que cruzamento atinge qualquer lugar do ônibus. Ou seja, só teria 33% de chance de ser atingida em um dos tipo de acidente. Muito otimista, pai.

Teco: 
Meu irmão é louco, engraçado toda vida. Implicante, de vez em quando baixa um Adalto (de Av. Brasil) e solta umas verdades que não fazem lá muito sentido. Extremamente interesseiro, só gosta de tudo o que é do bom e do melhor. Não é à toa que seus pertences não são numerosos. Não somos ricos.

Vovó Pomposa:
Uma figuraça. Mãe da mãe da minha mãe,dona Maria Pomposa (sim, Pomposa é nome!) adora falar palavrões, sacanagem e fuma 40 cigarros por dia desde os 14 anos ( ela tem 87). Pão dura, adora arrumar uma confusão.
Certa vez mamãe e vovó Pomposa estavam no mercado de peixe de Niteroi, um dos mais famosos do país. Estavam escolhendo peixe enquanto uma mulher enfiou a mão no bolso de vovó e pegou seu dinheiro. Vovó agarrou o braço da mulher e...

ATENÇÃO, AS PALAVRAS ABAIXO USADAS SÃO DE BAIXO CALÃO. SE QUER MANTER SUA MENTE PURA, PULE PARA O PRÓXIMO PARENTE.

- Sua piranha! Quem você pensa que é pra me roubar?
Forma-se um círculo em volta.
- E você, sua palerma, não vai me defender? - vovó falou pra mamãe.
Mamãe continuou estatica.
- Puta que pariu! Tu não serve pra nada mesmo! Anda, sua puta, devolve meu dinheiro!
Minha vó empurrou a ladra pra longe e todas as pessoas que circulavam no mercado expulsaram a mulher dali e lançaram sorrisos de apoio à vovó.
- Porra, Luciana, fica esperta!  - vovó disse para mamãe e continuou às compras como se nada tivesse acontecido.

Tia Giovana
 Mais que louca. A irmã mais velha da minha mãe é extremamente exagerada. Ela conta para as minhas priminhas historias de monstros duvidosos, como o homem que transforma as crianças em lâmpada, o homem que tranforma crianças em botijões de gás e o lagarto que come as próprias patas. Minha tia diz que conversa com gente morta e que a gente nunca deve beijar um cara sem saber se ele tem alguma cárie antes. Da última vez que ela veio aqui ela apontou da janela pra um motel que fica aqui perto e falou que costumava ir ali com meu tio quando era solteira. Detalhe, as filhinhas puritanas dela estavam no recinto.
Agora, se você acha que acabou por aí, nada disso. Minha tia, que embora fosse uma das moças mais bonitas da cidade dela nos anos 80( até hoje vovó Pomposa não se recuperou de tia Giovana não ter sido eleita Miss Cachoeiras de Macacu), é compradora compulsiva e dá aulas de matemática todos os dias da semana, de manhã, à tarde E à noite. E faz congelados pra fora.

Tia Nina
 Embora o verdadeiro nome da irmã caçula de papai seja Lucia, ngm chama tia Nina de Lucia. Ela tem 40 e poucos anos e mora com vovó ainda. Ela reclama que todo mundo é feliz, tem marido e filhos, menos ela. Quando a gente sugere que ela volte a estudar pra conhecer mais pessoas ( e quem sabe o tão sonhado marido) ela diz que está velha pra isso. Quando a gente fica estimulando-a a fazer um curso profissionalizante e trabalhar, ela fica dando pra trás.
Teve uma vez em que a gente foi lá e ela disse pra minha mãe que estava pensando em fazer um curso de depilação. Mamãe ficou toda feliz: " Que bom Nina, você vai poder trabalhar, ganhar seu dinheiro, conhecer pessoas..." Minha tia cortou mamãe: " Luciana? eu estava pensando em fazer o curso pra Eu ME depilar, tá?"
Desse dia em diante, desisti da minha tia.

Outro dia eu continuo,vcs devem estar cansados, hehe.

beijos.

ps.: e vc, qual o seu parente insano?

9 de agosto de 2012

Sabem quando coinscidencias acontecem e vc vê que é coisa do destino? Não, não ganhei na loteria, não achei o amor da minha vida nem descobri que sou adotada ou algo do tipo " algm que eu conheci na internet é meu parente". Nada disso. Depois que segui o conselho de Juliana e assisti ininterruptamente as sete temporadas de How I met your mother,  fiquei sem ter um hobby e fui conhecer a Biblioteca Municipal de Niteroi, que foi reinaugurada ano passado e de onde eu só ouvia elogios. Ela é linda, o acervo é ótimo e o ambiente agradabilíssimo. Cheio de chick-lits pra pessoas não tão cultas como eu se divertirem. Daí que eu peguei um livro da Sophie Kinsella, Menina de Vinte, super legal, e A garota da capa vermelha. Menina de Vinte eu li de boa, toda contente e A garota da capa vermelha pareceu muito chato e vou devolver amanhã. Daí que quando eu devolvi Menina de Vinte, peguei Um dinheiro nada fácil, ( pq pode ficar com 2 livros por vez) que eu nunca tinha ouvido falar, mas a sinopse parecia legal.

Daí que hoje eu passo na locadora e pergunto a atendente qual filme bom ela me indica. E ela de "Como agarrar meu ex-namorado". Pego o filme, olho a sinopse e tcharam: é a msm historia de Um dinheiro nada fácil! Óbvio que peguei outro filme, vou ler o livro primeiro.
Acabei de pesquisar e vi que esse é só o primeiro volume de 18, sim, DEZOITO livros! Viu? Novo hobby encontrado!
 18 livros - Challenge accepted!

hahaha, beijinhos

24 de junho de 2012






Meu, eu NUNCA fiquei tanto tempo sem postar. Nunca. Estava no maior desânimo. E olha que eu nem engordei não (geralmente é o que mais me desanima). Era um desânimo, sei lá, de tudo. Meu computador até que está rapidinho (coloquei internet a rádio que é mais rápida, sem contar que ele foi formatado por um imbecil master que não pôs de volta meus programas que convertem vídeo nem meus episódios de glee. Pois é todos os episódios de glee. Eu tinha. com legenda original. Filho da mãe.)
Acontece que o desânimo, a falta de dinheiro pra comprar um computador próprio e uma mãe que faz faculdade à distância não colaboraram muito. Mas deixa pr alá. Só vim postar porque realmente eu estava sem ter o que fazer. Como cheguei a esse ponto? Antes eu amava escrever, postar. Agora... puft! as ideias somem.

estou em greve na faculdade há 2 semanas,  logo também tenho dito bastante tempo. Estou até me dando ao luxo de dormir 9 horas por noite. Então há algum tempo eu tenho pensado sobre o quê postar quando voltasse. Não tive nenhuma ideia que preste (espero que elas surjam rapidamente) e resolvi comentar sobre a pirataria. Coisa feia, né? Mas eu faço. E vc, tbm? é somos um bando de bandidos.

Não é sobre a pirataria, mas sim sobre os seriados. Sim, porque há cerca de um ano desenvolvi a incrível maldade em meu ser de roubar seriados da internet. É, podem me prender. Daí eu resolvi então comentar sobre os seriados que assisti nesse meio tempo. Let's go?


01. Dexter


Sem dúvida, o melhor seriado de todos os tempos. Não que eu tenha experiência, mas é porque é bom demais pra ter algum melhor. Ela é surpreendente sem sair muito da realidade. Boa demais. Pra quem não conhece, Dexter é um psicopata que vive em Miami. Só que ele é um psicopata que respeita várias regras pra não ser pego. E a principal delas é só matar quem é assassino. Assim ele sacia sua "sede"(?) de matança sem chamar a atenção dos outros. Trabalhar no departamento de homicídios de Miami é perfeito para Dexter. Assim, ele tem acesso às fichas criminais das próximas vítimas e acompanha as investigaçãoes de perto. Dexter é demais mesmo. Lindo, inteligentíssimo, e com um senso de justiça ao mesmo tempo óbvio e confuso. Dexter é psicopata, não ama. Então ele também tem o problema de como se aproximar das pessoas, como conviver com elas. Tem uma irmã super legal, Debra, e uma namorada muito gente boa, Rita. Passar-se em Miami dá ao seriado um ar latino muito gostoso, que faz com que eu me sinta confortável. Sabe como é, eu não preciso assistir e ficar imaginando  o quão frio é a neve, porque não tem neve.

Já tinha ouvido falar do livro e assisti a primeira temporada pela televisão, na redetv, no ano passado. Claro, eu saí então correndo atrás das outras temporadas na internet e no começo deste ano acabei de assistir a 6ª. Eu. Preciso. De. Dexter. Sério, ele é demais. Se você nunca assistiu dá o seu jeito de ver correndo. Procura nos canais de tv, compra o box em 5x sem juros na submarino, se vira. Não se arrependerá.


02. The Big Bang Theory

A melhor forma de desestressar. Também assisti o primeiro episódio na tv, no sbt e achei engraçadinho. Daí baixei o resto e.... meu Deus, como eu ri! é absurdamente engraçado. 

A história começa quando Penny, linda e loura, torna-se vizinha dos supernerds Leonard e Sheldon. Leonard desenvolve uma paixão platônica por Penny, que torna-se amiga dos dois e frequenta seu apartamento sempre. Ainda há Howard e Raj, dois amigos nerds de Sheldon e Leonard que unem-se ao elenco principal. Não tem como não rir, principalmente com Sheldon. Sheldon é obcecado por contratos (contratos de rommate, contratos de amizade etc), é irritante e adorável. Muito criativo, Sheldon gosta de trens, histórias em quadrinhos, e muita física. Não há dúvidas de que, com o passar das temporadas, Sheldon ganha muito mais atenção que o casal Leonard e Penny, de tão engraçado que é.


03. Glee

Preciso falar? Acho que não né? Fofura demais, talento demais, pra uma só série, apenas isso.




http://img256.imageshack.us/img256/5702/thementalist.jpg04. The mentalist

Meu irmão que começou com isso. Teco é maior metido a inteligente e desde que assistiu alguns episódios na televisão, não me deixou em paz. Era, Patrick Jane é demais pra lá, Patrick Jane é sinistro pra cá.
Daí ano passado eu comprei a primeira temporada no submarino para dar de presente a ele. Estava numa liquidação a 29,90, daí achei que valia a pena. Acabou que eu também fiquei meio viciada na série. Não muito, só o suficiente pra querer assistir.
Patrick Jane bancava de médium pra ganhar a vida. Até que um dia enfrentou Red John, um assassino em série, na televisão. Quando chegou em casa, encontrou filha e esposa mortas. Jane então deixou a vida de médium pra trás e foi trabalhar com o CBI , centro de investigações da California, contribuindo com sua sagacidade para encontrar os assassinos dos crimes que investiga. Ao mesmo tempo, ele procura, dentro da polícia, um meio de achar Red John e se vigar doq ue aconteceu a sua família. Bem humorado e às vezes enigmático, o simpático e esperto Patrick Jane nos leva para aventuras a la CSI, onde ele monta armadilhas para os assassinos em cada episódio. Ao longo das temporadas, a gente também acompanha a história dos seus colegas de equipe Teresa Lisbon, Grace Van Pelt, Kimball Cho e Wayne Rigsby, além da amizade e companheirismo que cresce entre eles.

05. Once upon a time

Quem me contou dessa série foi Stephanie. Daí eu quis baixar pra assistir e... que série boa!

Na terra dos contos de fadas, a rainha má (madrasta de Branca de Neve) lança uma terrível maldição. Todos serão enviados para uma cidade no nosso mundo, onde ficarão congelados no tempo e não se lembrarão de quem são. Apenas uma pessoa consegue ser salva da maldição, a filha recém nascida de Branca de Neve, Emma. Emma carrega um encanto, quando completar 28 anos ela deve voltar a cidade pra quebrar a madição. Acontece que Emma é criada em orfanatos e, no seu aniversário de 28 anos, encontra o filho que enviou para a adoção quando tinha 18 anos. O menino, Henry, havia encontrado um livro que explicava tudo o que aconteceu e tenta convercer Emma a ir até Storybrooke, a cidade onde vivem os personagens. É claro que a princípio Emma não acredita em nada disso, mas coisas estranhas começam a acontecer. A história pode parecer confusa, mas não é não. É muito boa, surpreendente e a cada capítulo a gente conhece mais sobre cada personagem. Estão presentes Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, Cinderela etc. Todas as historias se entrelaçam e formam uma trama muito boa.


Acontece pessoal, que vocês já devem ter ouvido falar de todas essas, inclusive assistido. Pois então, depois disso, alguém tem alguma sugestão sobre qual seriado eu possa começar a assistir já que a universidade está em greve e eu assisti todos os episódios existentes das séries acima?
Ouço falar em true blood, mas dizem que existem umas cenas meio complicadas de ver em família, digamos assim, e eu não preciso de mais problemas em casa. Também tem Vampire Diaries, mas eu não aguento mais ver vampiro no mundo. Então, sugestões?

beijinhos

1 de abril de 2012

There is love

Como meus leitores bem devem saber, eu sou um ser humano de vida amorosa praticamente inexistente. Isso não me preocupa, porque entrar em um relacionamento pode me levar a me apaixonar pelo cara, o que causará um sério problema daqui a 10 anos, quando eu casar com o príncipe Harry.

E mesmo se eu não fosse casar com Harry, isso não seria um grande problema, porque algumas pessoas têm que ser solteiras. Quero dizer, se Madre Teresa tivesse casado e tido dois filhos não seria tão famosa.
De qualquer forma, acredito sim no amor, mas acho que é perfeitamente normal que não seja pra sempre porque nada é imutável. E quando as pessoas dizem que hoje em dia dizer "eu te amo" é banal, calem-se todos, essas pessoas muitas vezes realmente amam. E porque antigamente as pessoas não diziam "eu te amo" à toa, elas casavam obrigadas e eram proibidas de se separar e muitos casamentos eram mais infelizes que os de hoje. Ou seja, era uma grande merda.

Estou falando disso porque procurava um assunto pra comentar e vi um post sobre o amor no Luz de Luma. o post falava sobre um amor do passado de Carmem Miranda. Daí lembrei que estou há anos pra postar a história de amor mais linda que já ouvi falar. A história é verdadeira e aconteceu na minha família. Prepare-se para se emocionar e não terminar de ler o texto até o final.

"Estamos em 1960, em Cachoeiras de Macacu, cidade a cerca de 100km do Rio de Janeiro. A mocinha em questão é Vladir, uma moça muito bonita de 16 anos, filha de um dos maiores fazendeiros da região. Vladir e seus lindos vestidos adoravam passear pela cidade. Afinal, seu pai além da fazenda mantinha uma casa num dos melhores bairros do centro. e nessa época Vladir vive um desses namoros bonitos, de risadas prazerosas, com Erasmo, um rapaz simples, músico. Era desses namoros que quem teve adora lembrar e quem não teve sente pena de si mesmo ( o/).

Mas Vladir foi mandada pelos pais de volta pra fazenda. Antes de ir encontrou-se com Erasmo, e pediu que lhe escrevesse.
Na fazenda, Vladir esperava ansiosamente as cartas ou bilhetes de Erasmo, notícias que nunca chegavam.
Acredita-se que essas cartas foram desviadas por um dos funcionários da fazenda a mando de uma das primas de Vladir. Dizem que a moça, muito da feiosa, morria de inveja da prima bonita e apaixonada, recolhendo as cartas para si antes que chegassem a bela mocinha.
Enquanto isso, Erasmo escrevia mais e mais cartas, que nunca chegavam a amada. Sem ter respostas, restou-lhe pensar "Mas o quê uma moça bonita e de boa família veria em mim, um pobre músico que não faz sucesso, de família desconhecida?".
Na fazenda, só restava a Vladir chorar e ficar triste, sentir-se abandonada pelo rapaz que dizia amá-la. Talvez nesse tempo conhecera uma outra moça melhor, quem sabe? Provavelmente nem lembrava mais dela.

Pouco mais de um ano depois Vladir casou-se, mais por influência dos outros que por vontade própria. As notícias de suas bodas chegaram a Erasmo, que estava na cidade. A primeira coisa que passou por sua cabeça foi que realmente a moça o havia ignorado. O noivo de Vladir, José, era um rapaz bem empregado e lhe daria a segurança financeira que ele não podia. Talvez fosse melhor assim.

Vladir teve quatro filhos e foi morar no centro da cidade com a família, mas não viu mais Erasmo. Entretanto, sempre pensava no seu amor do passado e no quanto gostaria de ter notícias suas.
Erasmo às vezes via Vladir passando pela rua de longe e sentia uma vontade absurda de ir atrás dela. Mas sabia que não era prudente. Ela era uma mulher casada, com quatro filhos, de vida séria. Ele ainda vivia de sua música e estava se tornando um solteirão. Pois é, Erasmo nunca se casou nem teve filhos.

Em 2005, após mais de  40 anos de casamento Vladir ficou viúva. Se ver sozinha com mais de 60 anos levou Vladir de início à depressão, mas depois a vida foi melhorando e ela começou a aprender a viver uma vida mais individual. Num dia desses uma amiga de Vladir a chamou para uma visita.
E qual foi a surpresa de Vladir ao ver quem também estava lá, ansioso por vê-la: era Erasmo!

Sim, o Erasmo de sua juventude, de quem ela sentia falta, morria de saudades dela. Daí, não teve mais jeito, a paixão adolescente voltou com tudo!

Hoje eles namoram de um jeito que só vendo. Ele vai visitá-la a noite, saem muuuito juntos e fazem todo o possível para recuperar o tempo perdido."

Vladir é minha tia-avó, irma de vovó Dalma. Há alguns anos atrás, em uma de minhas estadas em Cachoeiras de Macacu fui visitá-la. Era de noitinha e ela falou: "Peraí que vocês têm que conhecer Erasmo!" Na mesma hora tia Vladir pegou o telefone e daí eu só ouvi: " Erasmo, vem cá, minha sobrinha tá aqui com a família dela, eles vão te adorar!".
E não deu em outra. Um senhor muito bem humorado, de boa aparência e educado chegou na casa de tia Vladir numa moto e veio cumprimentando todo mundo. Ambos sentaram-se e nos contaram sua história.
Nessa hora, Jardel, primo mais novo de mamãe, passou na sala e disse: "Erasmo, me empresta sua moto pra eu ir na casa da minha namorada?"
"Claro, meu filho, pode ir. Não se preocupa, depois eu volto pra casa andando ou de bicicleta", respondeu com sinceridade.
Depois que Jardel partiu ele olhou nos olhos de papai e disse: "Se tem uma coisa que eu queria é que esses garotos fossem meus filhos."
Mas acho que não há dúvidas de que Vladir e Erasmo são a prova viva de que nunca é tarde pra correr atrás da felicidade.

Sim, é de emocionar.

Porque amor existe.



31 de março de 2012

Você, cara criatura humana, que entrou no meu blog porque se espantou ao ver uma atualização ( no caso de seguidor), que fez a ultima tentativa de visita ( leitor não seguidor) mas não os que caem aqui por acaso deve estar se perguntando por quê será que eu voltei a postar depois de 2 meses e 2 dias. Prepare-se para o sobrenatural.

Sim, sobrenatural, porque meu computador ficou sem me obedecer por dois meses. E quando digo sem me obedecer é sem ME obedecer mesmo, porque continuava obedecendo minha mãe, meu pai e mau irmão. Era só eu sentar e travava. O Mozilla parou de funcionar ( aqui em casa cada um fica logado num navegador, eu uso o mozilla) e qdo eu usava o Explorer ou o Chrome travava. Fiz um escaneamento para vírus e não deu nada. Faz sentido, explica porque obedecia aos outros habitantes da residência. Mas não explicava porque o problema comigo.

Fiz um post mó legal no começo de fevereiro, mas não consegui postar porque meu pc não me obedecia.

Daí, do nada, essa semana vejo meu pai conferindo o resultado da loteria usando o Mozilla. Sentei no computador e ele começou a funcionar normalmente. Antes eu sofria muito aqui, mas do nada começou a funcionar perfeitamente de quarta feira pra cá. Vai entender. Antes 5 min no facebook e travava. Hoje eu até peguei as fotos de um trabalho tranquilamente.

De verdade, não entendo.

Mas volto em breve com posts se meu computador continuar bonzinho.

beijos

29 de janeiro de 2012

Perdendo o fio da meada...

Como vocês bem sabem, eu sou uma criatura tipicamente acima do peso. Calma, meu manequim não é 50, não como dois hambúrgueres seguidos, nada disso.

Mas, assim como Heather Wells ( personagem da diva Meg) meu manequim é 42, o que me afasta dos padrões de beleza.

Há pouco mais de um ano eu fiquei desesperada quando subi numa balança e ela registrou 78 kg. Nunca tinha ido tão longe. Chorei, fiquei triste e entendi a razão de ter popularidade zero e estar "encalhada" como diriam alguns.
( e se algm vier me falar "mas vc tem um rostinho tão bonito..." morre, ok?)

Eu tenho 1,61 m, e ter 78 kg levou meu IMC às alturas. O que era uma puta falta de sacanagem, se é que vocês me entendem. Então quando chegaram as férias de fim de ano tomei vergonha na cara, proucurei uma nutricionista ( não usem dietas de endocrinologistas. Além de não estarem capacitados pra isso elas nunca dão certo) e me matriculei na academia. Mas nas férias tudo é fácil, não é mesmo? Você pode se dar ao luxo de gastar três horas diárias na academia, de comprar suas verduras e fazer sua salada, de ir ao supermercado escolher as melhores frutas, ah como é lindo! Sem contar que você não fica nervosa e sua cabecinha não pede overdose de chocolate e café com leite integral.

E aí consegui chegar com 68 kg ao mês de março. Que diferença! Eu sei que 68 kg ainda parece que sou obesa, mas nem tanto, porque minha bunda e minhas pernas não negam os genes afrodescendentes que estão em minhas células. Agora eu já conseguia andar sem estar complexada, conseguia ir à praia de biquíni sem tanta vergonha, usava minhas blusinhas sem achar que meus bracinhos gordos estavam explodindo.

 














antes                                                   depois




Não estou aqui pra defender que todos devem ser magrelos ( até porque há uns doze anos não sei o que é ser magra ) mas uma enxugada pode melhorar muuuuuito a nossa auto-estima. Não que depois disso eu tenha arrumado um namorado, acho que já é um problema crônico( entretanto, acho que é melhor assim. Quero dizer, sem grana do jeito que vivo, não estou podendo incluir no mínimo três despesas anuais no meu orçamento - presentes de aniversário, natal e 12 de junho).

Entretanto, ao longo do ano letivo, a faculdade não me ajudou muito. Por razões óbvias tive que sair da academia ( quando a gente sai de casa às 5:40 e chega no mínimo às 19:30 não sobra muita energia) e fui ficando sem tempo de fazer minha saladinhas tão sem calorias. Tomei litros de café e comia quase que um bombom por dia, acreditem. Não deu outra, acabei engordando. Não sei ao certo, porque tive medo de me pesar. É, eu sei. Na última vez que subi numa balança, há uns seis meses, deu 69 quilos e alguma coisa, então eu acho que passei dos 70 e tenho medo de subir.

Prometi que essas férias faria um novo projeto desses pra perder uns 3 quilinhos pelo menos, mas pela primeira vez em cinco anos não fiz o projetinho "emagreça nas férias", que agora foi batizado de "só na fineze" (rs) por Sthefane.
Em dezembro estava vendo Legendários com mamis ( não que eu assista Legendários - acho chato - mas nesse dia eu vi) e Marcos Mion falou de ginástica a la Jane Fonda nos anos 80.

"
- Mãe, na década de 80 não existia musculação?
- Não.
-Era ginática a la Jane Fonda o que a senhora fazia na academia?
- Era ginática, Luma.

Ai, meu Deus. Eu não acreditei que...
- ... a senhora usava aquela fitinha estranha na cabeça?
Diz que não, diz que não, diz que não.
- Era moda.

Pronto, agora não dá pra esquecer. Veio a minha cabeça uma imagem de mamis e e sua amiga de adolescência, Silvinha, fazendo ginástica com fitinha na caeça sendo orientadas por aquele professor estranho de Norbit.

- A senhora tinha um professor estranho com fitinha?
-Era uma professorA Luma.

Menos mal."



Depois desse episódio de minha vida resolvi que precisava voltar a malhar. Não por mim, mas pela humanidade. Era um desperdício eu viver numa sociedade que possui musculação e não utilizá-la.
(assim como é um desperdício você ter internet e não visitar meu blog, no mínimo, mensalmente)
Mas quem disse que fui pra academia? O projeto fineze tomou outros rumos.

Comecei a ter problemas no estômago, que doía muito, e finalmente tomei vergonha na cara e dinheiro no bolso pra ir ao gastro.
- Então, Luma, o que você tem?
- O lance é o seguinte. Meu estômago tá me sacaneando. Tudo bem que nos últimos dois anos com vestibular e faculdade eu tomei muito café e tenho ficado nervosa, mas tá demais. Ele dói quando eu fico mais de três horas sem comer, e depois que como parece que ele incha horrores. Me sinto um monstrinho mutante.
- Você faz faculdade de quê?
- Medicina.

Nessa hora o médico olhou pra mim e riu. Disse que isso era comum  e que eu estava me estressando demais. Passou uma porrada de remédios ( estou me sentindo uma velhinha diabética, hipertensa e com artrite com tantos remédios ) e disse pra eu ficar calma.

Falou que nada de :  cafeína, chocolate, refrigerante, condimentos...

Peraí, se eu não posso tomar café nem chocolate nem guaraná em pó nem nada disso...

- Doutor, como eu vou ficar acordada na aula?
- Você tem que dormir bem durante a noite, umas oito horas.

E é nessa hora que você quer mandar todo mundo pro inferno. Porque é muito fácil falar pra algm que ela deve dormir 8 horas por noite. A merda O problema é que essa pessoa não tem oito horas disponíveis.

Quero dizer, se eu chego em casa às 19:30, tenho que tomar um banho, arrumar minhas coisas e jantar umas 20:00. Daí, tenho que esperar três horas antes de dormir, pro meu estômago aguentar. Então, durmo às 23:00. Mas eu tenho que dormir oito horas por noite, então devia acordar umas 07:00. Mas às 5:40 eu tenho que estar no ponto de ônibus ou eu perco minha carona, alllow!

Além disso eu tenho que ficar longe das pessoas estressadas, como papai ( pessoa mais estressada que já vi na vida) e meus coleguinhas da faculdade que só sossegam com CR=10.

Ótimo, então além de ter que parar no tempo no meio da noite pra poder dormir as oito horas seguidas, ainda tenho que me afastar do meu pai e nunca mais conversar com pessoas desesperadas como Sthefane, Stephanie e Vinicius. Ótimo.

Agora que perdi minha familia, meus amigos e descobri que preciso fazer uma maquina do tempo eu vou ficar muito mais tranquila, obrigada.

Eu, a fatura do meu cartão de crédito, minha ausência de salário ou mesada, e meu IMC acusando sobrepeso. Todos juntos e felizes, uhum. Senta lá.
 


31 de dezembro de 2012

twenty twelve

Algumas coisas aconteceram esse ano. e me tornar mais objetiva é uma delas. Por isso prometo tentar enrolar pouco nesse posto. é sério.

então;

- Sem saldo positivo ou negativo de peso. Tudo o que eu engordei em  seguida emagreci. Tudo o que emagreci em seguida engordei. Não é tão ruim. Eu poderia ter engordado. E daí minhas roupas nao caberiam mais em mim. e eu não teria o que vestir nem dinheiro pra comprar roupas novas tamanho GG. E teria que pedir camisa aos políticos na campanha eleitoral. Ainda bem que eu nao engordei. Esse ano não vi candidatos distribuindo camisas de partido tamanho GG. Nem G. Nem M ou P.

- Fui convocada pra ser mesária. É, e quando o pessoal do TRE perguntou o que eu fazia da vida e eu disse: "faculdade" e eles: "de que?" e eu: "medicina", eles acharam que eu era nerd e responsável e deveria ser presidente de mesa. É, além de ir no domingo, eu teria que trabalhar no sábado. E como eu não trabalho, só estudo, não tenho declaração pra faltar serviço. Daí tudo o que eu ganhei foram dois VRs de 21,00 um pra cada turno. e como eu sou uma boa filha, levei minha mãe e meu irmão pra comer pizza em um dia e fui lanchar com mamis no shopping em outro. Ah, e comi muito de graça da comida que a escola/seção eleitoral deu. e fiz amigos novos. E ri muito. E foi divertidíssimo. Divertidíssimo mesmo.



- Comecei a ter minhas práticas na faculdade. E é desesperador. Mesmo. Eu achava que ia tirar de letra, mas quando estávamos lá eu e o paciente eu tinha vontade de sair correndo porque eu sentia que os pacientes poderiam me humilhar e dizer o quanto eu era incompetente a qualquer momento. O que ainda bem não aconteceu.

- Meu pai começou a me deixar a sair, é sério. Deixa, tipo, deixar mesmo. Pra voltar no dia seguinte. Eu NUNCA imaginei que isso aconteceria antes de 2030. NUNCA.

- Eu ganhei uma festa surpresa de aniversário. é, eu fui muito, muito, muito imbecil de não ter percebido nada. Eu sei. Mas pelo menos eu escolhi um bom dia pra ser imbecil e desatenta, haha


- pela primeira vez na vida eu ganhei um sorteio na vida. O sorteio das cartas da linda Carol, do Caixa a-a. =)

-Me viciei em mais séries.

- Rá, comecei a ganhar bolsa e ter meu dinheirinho. Tipo, é a melhor coisa do mundo. Mesmo que seja quase nada ainda é a melhor coisa do mundo.

- VI AO VIVO MEU LINDO GATO MASTER, FUTURO MARIDO E PRINCIPE DE GALES HARRY!  ELE VEIO PRO RIO EM MARÇO E, DEPOIS QUE MEU PAI NÃO ME DEIXOU IR ATRÁS DELE, EU ESPEREI MEUS PAIS SAÍREM DE CASA E FUGI ATRÁS DO AMOR DA MINHA VIDA, MINHA PAIXÃO, FUTURO PAI DOS MEUS 6 FILHINHOS, NO ATERRO DO FLAMENGO. SAÍ PEDINDO INFORMAÇÃO A DESCONHECIDOS E DESBRAVANDO AQUELA CIDADE NÃO TÃO MARAVILHOSA PORQUE TAVA BATENDO UNS 35 GRAUS CELSIUS E CHEGUEI LÁ. E O VI DESCENDO DO CARRO MUITO ELEGANTE, E CORRENDO UM MINI-CIRCUITO E DEPOIS JOGANDO RUGBI COM AS CRIANCINHAS CARENTES. LOGO ALI, DO OUTRO LADO DA GRADE QUE SEPARAVA O NOSSO AMOR. MAS TUDO BEM, NÃO É AGORA QUE NÓS VAMOS NOS CONHECER DIREITO E CONCRETIZAR NOSSO RELACIONAMENTO. HÁ UM CRONOGRAMA, UM PLANO. E POR ISSO EU RESISTI A TODAS AS VEZES EM QUE EU QUERIA GRITAR "HARRY, I LOVE YOU! MARRY ME!".

e desculpa ter escrito isso em letra maiuscula, mas foi emocionante demais. e pensar que agora ele está lá no Afeganistão jurado de morte por aqueles talebãs malditos, porque a vó dele acha melhor ele correr risco de vida que casar comigo. Um absurdo, porque eu seria uma excelente esposa, tenho genes de longevidade e não tenho doenças geneticas na familia. e sou linda, legal e vou ser médica. O mundo amaria muito mais a família real britânica se eu fizesse parte dela. Certeza.






17 de novembro de 2012

eu e mamis assistindo supernanny.

eu: "Mãe, acho que quando eu tiver meus filhos eu vou brincar mais com os brinquedos deles do que eles mesmos"

Mamis: "Normal, por que você acha que eu te 'dava' tantos brinquedos?"

passando pela biblioteca

Daí que ontem eu fui na biblioteca de Niterói entregar "A Rainha da Fofoca" e aproveitei pra levar meu material de microbiologia e ficar estudando nas poltronas mais confortáveis do universo.

Primeiro leio um pouco, encontro Nicole, que é aluna do CPII e vestibulanda pra medicina, fico conversando por umas duas horas.  Estudo por 15 minutos, encontro Evelyn, uma amiga, e fico conversando por cerca de uma hora. No fim das contas não dá mais tempo de estudar e eu vou pegar um filme na videoteca. E na hora que eu entro na sala de vídeo pra escolher um filme um cara apoiado no balcão pergunta pro funcionário da biblioteca " E agora, onde vou arrumar alguém em São Paulo?". Ouço e fico quieta. Na mesma hora o cara olha pra mim e diz: "licença, vc tem algum parente em SP?".

Eu levanto a cabeça e respondo: "Tenho um primo de terceiro grau, por quê?" Isso mesmo, Luma, continua assim. Um dia um psicopata vai te oferecer pastilhas de menta envenenadas e vc aceita.

Então o cara vira pra mim e fala: "Preciso da sua ajuda."

Ufa, ainda bem que não era pra carregar drogas, ou um corpo, ou uma criancinha pra ser entregue a traficantes de órgãos. É só que o cara em questão é segurança do biblioteca (mas não estava em serviço no dia, por isso estava sem uniforme) e maratonista e vai correr na São Silvestre (é óbvio que eu não disse pra ele que eu odeio a São Silvestre, é um esporte chato que rouba minha Sessão da Tarde. Quero dizer, é o esporte dele, ao contrário de mim o cara tá praticando algum.) e precisa de alguém pra buscar o kit de participante dois dias antes da prova, e ele só vai pra Sampa  no dia 31 mesmo. Daí ele precisa encontrar alguém que busque o kit. Peguei o telefone do maratonista e falei que ia entrar em contato com Bruno, meu primo que mora em Mogi. Viu, primo, vc pode pegar o kit do candidato daqui de Nikity City e mandar pro Sedex ou entregar pra ele no dia, sei lá? Quero dizer, vai que ele ganha e daí a gente aparece no Fantástico depois? E daí vai ser mais uma coisa pro Brasil lembrar quando eu for linda, médica sem fronteira e princesa!

E por isso esse ano, pela primeira vez em 20 anos, eu quero assistir a São Silvestre.

7 de novembro de 2012


São quase meio dia. E minha vida é uma droga.

Ontem eu cheguei da faculdade 21hs porque o ônibus demorou meia hora pra chegar no ponto e o trânsito estava uma desgraça. Tomei banho, comi e mal pude conferir meus e-mails porque minha mãe tava usando meu computador pra estudar. Aqui em casa a gente só tinha um computador, mas no meio do ano, quando eu comecei a ganhar bolsa na faculdade, comprei meu notebook, um roteador e coloquei wifi aqui em casa. 

Daí o computador grande quebrou e meu pai mandou pro conserto sem me falar nada. E, se eu não tomasse a atitude de ir lá, pagar o conserto e buscar o cpu ninguém o faria. Mas o pc grande é velho e lento. Daí que enquanto jantava eu liguei o computador grande, abrindo um site de cada vez pra internet não travar. 
Escovei meus dentes e fui dormir umas dez e pouca.

Acordei 5:30 da manhã porque hoje eu não tinha aula de manhã. Tomei banho, tomei café, mandei um email pra professora de libras e saí de casa 6:30. Eu tinha dentista do outro lado da cidade, ia extrair um dos cisos (ou sisos? Tanto faz). Daí cheguei lá no centro de São Gonçalo 7:30. Tinha umas 15 pessoas na minha frente. Acontece que pessoa pobre que sou não tô com grana pra arrancar essas 4 desgracinhas em consultório particular. Quero dizer, mal me sobra dinheiro pra tirar xerox, afinal eu pago internet, formatura, fortuna de passagem de ônibus, meus lanchinhos de levar ´pra faculdade que eu compro no supermercado, recarga de celular. Fui ver a hora e percebi que tinha esquecido o celular em casa. Tudo bem, era só buscar depois do dentista e daí ir para a faculdade. Como eu era paciente de cirurgia, fui a primeira a ser atendida, às 8:00. O dentista falou que era melhor eu ir pra faculdade só sexta. É, ele com certeza não estudou na ufrj, não participou de liga, monitoria nem teve professores diabólicos, é claro. Mas se eu quisesse ir ( eu expliquei  que tinha aula pratica, que fazia medicina – é incrível o poder que isso exerce nas pessoas, do nada elas passam a gostar de vc) pra ficar a manhã inteira com muito gelo na boca e carregar gaze, além de tomar muito dipirona. Voltei pra casa. Quando eu chego em casa, já 9:30, encontro papai, que me diz: “ Sua mãe viu que vc esqueceu o celular e foi levar pra você. Lá no hospital.”. O QUE A MINHA MÃE TEM NA CABEÇA?  Ela atravessou o município inteiro pra me levar um celular no hospital? Quem vê isso pensa até que minha mãe é desocupada. Mas ela tem dois empregos e faz faculdade. É que excepcionalmente hj de manhã ela não trabalhou. Daí eu fiquei em casa, com minha boca sangrando horrores, além de ter acabado de gastar 30 lindos reais em remédios.  Minha mae chegou quase 11hs. Eu perguntei a minha mae se ela estava louca de ter feito isso e ela disse que pensou que eu poderia estar dentro de uma sala com cientistas malucos me torturando com alicates então ela me salvaria. Cara, minha mae é louca.

Continuei passando mal. Falei pra minha mae que não iria mais pra faculdade, já que minha gengiva tá liberando mais sangue que o Hemorio. Minha mãe saiu de casa e eu parei pra pensar. Eu tenho liga de pediatria meio dia. Eu tenho aula prática de microbiologia 3hs. E eu ia voltar de carona com um amigo meu da escola que tbm tá no fundão. Tipo, ele deixou de dar carona pra outras pessoas pra guardar minha vaga. E agr que ele tá começando a ir de carro. Tipo assim, se eu não fosse ele ficaria puto (com td a razão) e caronas nunca mais. Oh lord!

Mudei de ideia, troquei o short por uma calça comprida e liguei pro meu pai avisando que eu ia pra faculdade. Meu pai e eu nos empolgamos e logo depois a Claro me mandou uma msg dizendo que eu gastei 5,00 numa ligação de pouco mais de 2 minutos. Pai, o senhor PRECISA migrar pra Claro.

5 reais. O preço de um Magnum, que eu nunca comi na vida porque 5 reais é dinheiro demais. Comecei a gritar e me joguei no chão chorando, já que tava sozinha em casa mesmo. Antonia, a faxineira do prédio, bateu na porta da sala e perguntou se eu tava bem. É incrível a obcessão que ela tem em limpar o quinto andar, onde moro. Abri a porta e falei que mina vida era uma droga e todos os pbms que eu tinha : “todo o meu sangue estava indo embora, eu precisava estar na faculdade em 40 minutos ( já era 11:20), já tinha falta na liga, poderia perder carona para todo o sempre.”

Além disso, eu tenho 50 mil coisas pra fazer e toda semana eu termino com um déficit absurdo de rendimento. Ah, e com muitas horas perdidas em transito e ônibus que demoram a chegar.

Saí de casa e fui pro ponto de ônibus. Deu 11:40 e não passou nenhum ônibus pro Rio. Nenhum. Voltei pra casa e mandei uma mensagem pro meu colega da carona, avisando que eu não vou, mas vou pagar msm assim, porque eu tenho algm senso.

E agr estou em casa, com metade do meu volume sanguíneo normal, desabafando no blog porque não tenho dinheiro nem tempo pra psicólogo.

2 de novembro de 2012

É mt emoção

Começou quando mamãe teve que fazer um trabalho pra faculdade: entrevistar um funcionário de uma escola tradicional e comentar sobre a instituição e sua importância histórica. Mamãe liga pra tia Giovana e fala: "Depois me manda uns dados sobre o Carlos Brandão(escola onde mamãe estudou e minha tia trabalha) pra eu fazer o trabalho, ok?"

Alguns dias depois, minha prima Livia, filha de tia Giovana manda os dados pra minha mãe pelo chat do facebook. Tia, POR QUE vc é assim? Estão te dando substâncias alucinógenas, estão? Porque minha tia inventou perguntas e respostas (como se mamis tivesse perguntando e ela respondendo e talz) prontas, sem nem perguntar antes a mamãe o que precisava:


Estar emocionada e ainda falar de vovó. Falar de faculdade da vida. Tia, a senhora definitivamente não tem jeito. Logo a senhora que é amada pelos alunos e eleita a melhor professora sempre porque é a que mais disponibiliza aulas vagas, haha.



27 de outubro de 2012

Não favorável

Então, hj eu tinha mt coisa pra estudar e hj e amanhã trabalho nas eleições mas precisei tirar 20 minutinhos pra escrever algo. Não sobre mim, ficção. Faz tempo que não escrevo, tô com saudade. Daí saiu isso. Esse pequeno conto é uma mistura de várias situações do meu dia-a-dia, obvio que nem todas aconteceram, mas a maioria já. Mas não juntas, ou eu teria cometido suicídio.


O celular despertou. 5:30. Talvez só mais um soninho... E daí ao invés de apertar “soneca” eu aperto “silenciar”. E caio no sono profundo. E o sonho que eu estava tendo continua. Eu estou andando a cavalo numa plantação de girassóis. É, nada a ver. Cavalos e girassóis. Eu devo estar sonhando. É como se o meu “eu” do sonho estivesse conectado com o meu “eu” do mundo real. Abro os olhos e olho pro celular. 5:58! DROGA! Eu pulo da cama gritando, falando palavrões e batendo a porta do quarto. Passo na área de serviço e pego minha toalha estendida no varal, na volta passo pela cozinha e tomo meu omeprazol ao mesmo tempo em que coloco pó de café e água na cafeteira. É um ciclo. Tomar café pra ficar acordada e tomar omeprazol pra amenizar a gastrite. Vou então para o banheiro e entro debaixo do chuveiro já com a escova de dentes coberta de pasta. Não creio: a água desce fria. Olho pra cima e o chuveiro marca inverno. “Só faltava essa porcaria quebrar”. Tomo banho frio revoltada e sinto que meu couro cabeludo continua oleoso, porque em um banho frio não há paciência ou coragem pra usar o xampu direito.

Saio do banho me enxugando loucamente ao mesmo tempo em que deixo um rastro de água pela casa. Coloco uma regata e uma calça jeans. 6:20. Ligo pra Bia e digo que ela pode ir sem mim pra aula, que eu vou chegar atrasada. O que é péssimo, porque perder carona é como perder comida. Passo na cozinha e coloco o café na xícara com um pouco de adoçante. Isso nunca vai funcionar, o médico foi bem específico: 1 hora de intervalo entre o remédio e o café da manhã. Eu só dei pouco mais de 20 minutos. Vou tomar o café e... ai! Quente, quente, queimei a língua. Cuspo no chão porque a essa altura eu já levei o café pra sala porque deixei a sapatilha ao lado da porta no dia anterior. Desisto!

Limpo o chão, penteio  o cabelo e saio de casa cheia de fome. Jogo a mochila nas costas e desço a escadaria do prédio, porque o elevador não tá no meu andar e eu tenho preguiça de esperar. Desço a rua correndo pra ver o ônibus passar de longe. Tinha lugar pra ir sentada. Ódio.

Continuo andando e fico 10 minutos esperando o próximo ônibus. Ele chega e eu vou em pé. Nenhuma alma se oferece pra carregar minha mochila. Que só tem um livro de 1500 páginas pra entregar na biblioteca da faculdade. No meio do caminho o transito para e eu vejo um carro igual ao de Bia todo esmagado. Ai. Meu. Deus.
Será que eu ter perdido a hora foi um plano de Deus pra eu ficar viva? Mas daí eu olho melhor pro carro e vejo que ele tem placa, que não sei porque diabos ficou intacta, de Curitiba. O transito está parado e eu me aborreço mesmo. Começo a chorar. A senhora na minha frente olha pra mim e faz cara de preocupada. E então eu começo:

”Eu perdi a hora, perdi minha carona, queimei minha língua com café, estou com dor no estomago, essa calça está apertada porque eu engordei 3 kg no mês passado depois que meu namorado terminou comigo e pra piorar semana fiz um canal dentário no cartão de crédito que eu não sei como vou fazer pra pagar. Minha vida é uma droga!”
A mulher continua olhando pra mim e diz: “ Você está reclamando do quê? Eu moro em Maricá e trabalho em Paquetá, minha filha de 16 anos está grávida e a minha mãe tem Alzheimer. Você tem noção do quanto é longe daqui até Paquetá? Eu peguei esse ônibus 5:30 e só vou chegar no trabalho 9:00! E minha mãe ainda acha que a minha filha sou eu!”

“Desculpa,” falo soluçando enquanto todo mundo no ônibus olha pra nós duas. Até os com fone de ouvido. Imagino que tenham colocado o fone no mudo só pra nos ouvir melhor. “Não quis pertubar. “
Um menino de uns 13 anos com uniforme de escola olha pra mim e oferece um Trakinas. “Toma moça, ouvi que você tava com fome.” Ao que eu respondo: “obrigada, posso pegar 2?” E ele assente que sim. Como o chocolate e fico mais feliz um pouquinho. Mas agora que há glicose em meu sistema nervoso central eu tomo vergonha na cara e desço do ônibus pra pegar o próximo, porque não quero ninguém me olhando como se eu fosse maluca. 

Então eu paro numa padaria compro uma Fanta uva superfaturada e sento no banco do ponto de ônibus. Paro, penso, e pego um coletivo de volta pra casa. Onde durmo até meio-dia. Sem sonhos.

14 de outubro de 2012

Meme - Leiam até o fim e participem

Recebi uma indicação (é assim que chama?) de meme de Carol, do Caixa a-a
As regras são:

- Escrever onze coisas aleatórias sobre você.
- Responder as onze perguntas que a pessoa lhe mandou e criar onze novas perguntas para as pessoas para quem irá mandar.
- Escolher onze pessoas para repassar esse meme e colocar os links de seus respectivos blogs.
- Avisar os blogs escolhidos.
- Não retorne esse meme para quem te enviou.
- Postar as regras.


Coisas aleatórias:

1 - Quando eu digo que quero ser princesa eu estou falando sério. Tão sério que um dos meus maiores medos é conhecer o homem da minha vida e ele não ser Harry - embora o mais provavel e racional para eu ter medo seria não existir um homem da minha vida. Eu vivo num país tropical onde fetos XX têm maior chance de chegar ao fim da gestação. Existem mais homens gays que mulheres gays. Ou seja, realmente falta homem. Eu posso ser a futura titia. Então eu casar com meu príncipe lindo vai até melhorar as dinâmicas populacionais para relacionamentos no Brasil.

2 - Eu sempre quis participar do Big Brother. E eu nem vejo mais Big Brother. Mas eu queria que mais pessoas me conhecessem e gostassem de mim.

3 - No ano passado, quando eu perdi 10 kg, eu deixei de ser tão cult e passei a usar maquiagem. E eu gosto mais de mim assim.

4 - Eu fico ensaiando meus discursos de quando eu for famosa. Em português e em inglês. E fico imaginando como vai ser meu ensaio fotográfico quando eu for capa da Caras.

5 - Eu amo ver Sessão da Tarde, principalmente filmes típicos, como Matilda, A Lagoa Azul, Um príncipe em Minha Vida, 10 coisas que eu odeio em você, Correndo Atrás etc. Mesmo quando o filme é ruim. Dá aquela sensação de que eu ainda sou criança e que tenho a tarde livre pra fazer o quê quiser. Mas quando eu consigo assistir, geralmente é só impressão.

6 - Eu tenho muito medo de crescer. Daqui a pouco eu vou fazer 20 anos e vai começar a ficar estranho assistir desenho animado, ter coisinhas de personagens, e brincar. Isso me preocupa. Eu evito fazer tudo o que faz de mim mais adulta, como beber, ficar com alguém ou usar esmalte escuro. Estou sendo empurrada pra fase adulta contra a minha vontade. Eu não fui uma criança muito criança, fiquei criança depois de grande e gostei.

7 - Eu queria saber cantar. E desenhar. E ser boa em algum esporte.

8 - Eu me arrependo de não ter tirado mais fotos durante a minha adolescência.

9 - eu gostava mais do orkut do que gosto do facebook. Mas se tá geral no fb, né...

10 - Eu sou escorpiniana. Mas não acredito em signos já tem um bom tempo. Nada daquilo acontece.

11 - Eu me considero uma abençoada, uma escolhida. Eu estou no caminho de realizar meu maior sonho( ser médica sem fronteira), conheci minha ídola internacional ao vivo (Meg Cabot), eu consegui fugir de casa pra ver o  principe Harry ao vivo jogando rúgbi no aterro do Flamengo (e meu pai não brigou comigo depois), tenho uma família pela qual eu nutro o maior amor do mundo, não tenho predisposição genética a diabetes ou hipertensão arterial, meu nariz é pequeno, eu vejo o Cristo Redentor todos os dias, as pessoas vão com a minha cara (eu acho). Ah, e meu nome é exclusivo - não existe nenhuma outra Luma Peril no mundo todo.

Perguntas:


1-  Qual é o seu animal favorito?

Sempre quis ter um cachorro grande e brincalhão, que nem o Marley. Mas também acho golfinhos uma graça e gostaria de nadar com eles um dia.

2- Qual é o idioma que você mais tem vontade de aprender?

Eu gosto muito de inglês, mas daí eu já arranho um cado, então não conta. Me divido entra vários idiomas, cada hora quero saber um. Mas agora estou aprendendo LIBRAS ( lingua brasileira de sinais - a dos surdos) e estou apaixonada. É muito legal, a expressão corporal tem que ser fantástica, é como ter aula de idioma e teatro ao mesmo tempo.

3- Existe algum lugar no mundo para onde você gostaria de ir nesse exato minuto? Qual?

Eu gostaria de ter muito dinheiro e congelar o tempo pra montar minha mochila e sair sem rumo pelo mundo, parando para pernoitar onde me desse na telha.

4- Qual é o sabor de sorvete que você mais gosta?

Eu AMO sorvete. Não só pelo sabor, mas porque eu me sinto uma criança de novo. Me amarro em flocos e milho verde.

5- O que pensa sobre adotar filhos?

Acho super legal e quero adotar pelo menos uns dois. Daí eu tenho mais uns 3 biológicos e fico com 5. Um time de basquete. Se eu adotar mais um é um time de vôlei. Daria até pra eles fazerem um campeonato de volei de praia no fim de semana.

6- Você votaria em um candidato que legalizaria o consumo de drogas? Por que?

Não. Acho que o Brasil já tem problemas demais na saúde pública, que não está preparada para ter mais viciados. Isso é muito polêmico. Acho que eu deveria pesquisar mais sobre como foi a legalização nos outros países e como eles estavam antes e depois. Talvez eu mude minha opinião do mesmo jeito que mudei sobre aborto e eutanasia.

7- Na sua opinião, POR QUE PASSA DOMINGÃO DO FAUSTÃO ATÉ HOJE?

Porque ele tá chantageando alguém na Globo. Já até pagaram a redução de intestino dele. Zoeira. Porque ainda tem pessoas que assistem, mesmo reclamando, igual Zorra Total. É horrível, mas enquanto as pessoas continuarem assistindo eles não vão mudar.

8- Você consegue dobrar a língua? Se sim, como faz uma proeza dessa, Cristo?

Consigo! Antes eu não conseguia, mas dai descobri que era genetico e se meus pais e meu irmão sabiam fazer, das duas uma: eu era adotada ou então não tinha treinado o suficiente. Fiquei dias treinando e consegui!

9- Tem uma banda favorita? Qual?

Não. É, eu sei, todo mundo tem uma. Menos eu.

10- O que você queria ser quando crescesse, quando era criança?

miss Brasil. Era o meu maior sonho, achava lindo demais.

11- Se pudesse mandar um recado ao Luciano Huck, o que diria?

Que eu sou uma pessoa muito legal, ia contar a historia da minha vida e depois pedir uma casa. Acho que eu ganhava, hehe. ou então pedia pra reformar a brasília dos meus tios, que vendem salgadinhos a la "é o carro do salgado passando na sua rua, salgadinho fresquinho, gostosinho...."

Perguntas para responder:

1) como você sonha estar em 2030?
2) qual a história VERIDICA mais bonita que você conhece?
3) qual seu programa de tv preferido? Por quê?
4) qual personagem mais parece com você?
5)Qual seria sua viagem ideal?
6) qual sua comida preferida? Se vc sabe cozinhar, quer nos passar a receita?
7) uma coisa que te faz feliz
8) uma coisa que te deixa triste (não vale falsidade ou corrupção, já tá batido isso)
9) qual conselho mais precioso que você já recebeu?
10) qual conselho você vai dar pros seus filhos?
11) como vc chegou no meu blog?


Daí que eu mudei as regras, porque tô muito afastada da blogosfera. É o seguinte, como maioria dos meus leitores, é sabido, não tem blog, quero que vcs respondam a duas perguntas nos comentarios. O primeiro a comentar responde a pergunta 1 e mais alguma que queira. O segundo a pergunta 2 e mais uma de sua preferencia, e daí vai.

Então, COMENTEM. Ou eu posso entrar em depressão, ficar louca e destruir a sua casa.



tranquilo?

12 de outubro de 2012

Como tudo começou

Mamãe filosofando pela manhã:

" Teco, tenho que te contar a verdadeira história sobre você.
Eu estava indo para o Rio de barca quando eu ouvi um choro de bebê..."

 - Moisés, mãe? Você está plagiando a bíblia?
- Deixa eu terminar?

"Daí eu resolvi me aproximar da janela e vi um bebê agarrado a um tronco de árvore, chorando muito. E atrás dele tinha isso...
( daí mamãe desenhou na toalha de mesa do café da manhã)



Sorte que eu estava com um guarda-chuva grande, daqueles de ganchinho:


Daí eu joguei o guarda chuva na baía de Guanabara e resgatei aquele bebê das águas espumosas. Ele ainda estava com o cordão umbilical, que estava preso ao tronco..."

- Tá, mãe, Teco então nasceu de um tronco de madeira.
Enquanto meu irmão ri, minha mãe despreza minha afirmação.

"Então eu cortei o cordão umbilical com o dente, porque não havia faca ou tesoura. Joguei o bebê dentro da bolsa, porque ele estava com frio e eu estava de camiseta de alcinha. Depois eu me informei sobre como registrar aquele bebê no meu nome e me disseram que eu deveria procurar um cartório no interior e dizer que eu tive meu bebê em casa. Então eu fui em Magé e a mulher do cartório fez a certidão de Teco à mão..."

- Não existia maquina de datilografia em 1997?

" Então ela me perguntou onde eu morava e eu consegui colocar Niterói como local de nascimento, para que ficasse igual à sua. Depois eu mandei datilografar a certidão."

Meu irmão olha pra mamãe:
- E Luma, nasceu de você?

" Claro, Luma nasceu da minha barriga, em Niterói, como vocês sabem. Foi fruto de uma inseminação artificial..."

Inseminação artificial? Em 1992?

" Foi um procedimento realizado em Londres. É por isso que Luma não pode casar com Harry. Porque eu só fui barriga de aluguel para Charles e Diana. Mas fugi com meu bebê na barriga. Claro que Diana me procurou, ofereceu boa parte da herança*, mas eu não podia deixar você ir. Eu sei que é um baque, Luma, mas eu precisava te contar que vc e Harry são irmãos"

Alguma colega de trabalho está colocando drogas na marmita da minha mãe?

- Mãe, e como você explica eu ter olhos escuros e cabelo cacheado E castanho?
- Mutações ocorreram durante o procedimento, minha filha.


*cada filho de Diana recebe 30 milhoes quando faz 30 anos. Se houvesse mais um filho, seria 20 milhões pra cada.

15 de setembro de 2012

biblioteca

 


Quando eu era pequena, meu filme preferido era Matilda. Matilda era uma fofa, e inteligentíssima. Eu queria ser inteligente como Matilda. Por isso, quando eu descobri que Niteroi tinha uma biblioteca pública no centro, eu cismei que minha mãe tinha que me levar lá. Pra eu ler os livros e ser inteligente como Matilda.


Só que minha mãe me enrolava sempre, dizia que dia de semana eu tinha que ir pra escola, não ia dar tempo da gente ir lá. E que fim de semana não abria. Não sei se era verdade. Não acho que minha mãe era uma mãe má, que ignora a educação da filha, como a mãe de
Matilda era, mas há dez, quinze anos atrás, as coisas não eram tão simples a ponto das pessoas entrarem na internet e em dez segundos ficarem sabendo que dia funciona uma instituição. Mamãe também era dona de casa, não estudava ou trabalhava e não tinha noção do quanto eu queria ir na biblioteca.

Os anos passaram, eu fiquei grande (quero dizer, adulta, porque ainda sou meio baixinha) e quando passei a ter idade pra sair sozinha e estudar em outra cidade ( lá pelos meus 15 anos) a biblioteca entrou em reforma e eu não pude frequentar. o tempo passou e no ano passado a Biblioteca pública de Niterói foi reinaugurada. Mas como ano passado eu vivia enrolada, não fui lá. Esse ano, durante a greve, tomei vergonha na cara e fui conhecer a Biblioteca.

Fiquei encantada. e não foi com a arquitetura, o acervo, os computadores, tudo do mais legal possível. Foi em ver que a biblioteca estava cheia. Porque desde que eu comecei a frequentar a BPN, sempre que vou lá ela está cheia. Cheia de pessoas dos mais diferentes tipos. Alunos de escolas particulares com mensalidades de mil reais estudando em uma mesa e alunos de escola pública estudando na mesa ao lado. De pessoas pobres sentadas ao lado das pessoas ricas pra ler as revistas da semana nas poltronas do salão principal. De pais levando os filhos para a sala de leitura infantil. De adolescentes usando os computadores pra falar no facebook e pessoas com ar cult assistindo filmes na biblioteca. É lindo. Dá vontade de chorar de emoção.

Foi tão legal que levei minha mãe lá e voilá, ela também amou. E, assim, como eu, também amou o fato de estar cheia.

Então, fica a dica: conheçam e usurfruam das bibliotecas públicas. eu tinha uma lista enorme de livros que queria ler mas não tinha dinheiro pra comprar. e agr estou liquidando esta lista. Só essa semana já terminei de ler A Garota Americana e Quase Pronta e agr vou ler Desculpe se te chamo Amor e Fazendo meu Filme. Porque lá tem livros pra todos os gostos.

fachada da BPN


 
 

13 de setembro de 2012

Hoje esse bloguinho modesto que vos fala completa três aninhos de vida! Que gracinha não? Meu bebê está saindo da primeira infância e seu cerebelo está formado, não é lindo?

E essa semana ganhei um suuuuuper presente. Como vcs sabem, eu não deixo passar uma promoção nunca. Sempre que possível, participo de tudo. E pela primeira vez na vida eu GANHEI.  E não foi qualquer promoção não. Foi a promoção do Caixa a-a, blog da fofíssima Carol Santana, que eu conheci há quase três anos atrás, quando escrevia meus textinhos e publicava no Recanto das Letras. Carol, que na época usava um pseudônimo, também postava seus textos lá e uma acompanhava os textos da outra. Daí Carol descobriu meu blog e depois fez um pra ela também. e não é só porque eu ganhei não, mas o blog de Carol é o primeiro que visito sempre que faço login no blogger, hehe. ( não precisa ter ciúme, tbm vou mt no blog de Fran, minha xará Luma etc).Afinal, é um blog que eu acompanho desde que nasceu.

E cara, o prêmio foi suuuper legal. Sabe por quê? Porque é exclusivo! Hahahaha. Sim, Carol vai colocar as cartas que escreve ( feitas à mão, toma invejosos!) no correio direto aqui pra minha humilde residência. E daí, quando ela for uma escritora muito famosa, tipo a Meg Cabot e a J.K. Rowling, eu vou tirar cópias autenticadas ( os originais sempre serão meus) e fazer fortuna pela internet. eu sou um gênio, não? E não pense que acabou não. Porque quando Carol publicar o livro dela, quem vai ganhar um exemplar? A Luminha aqui, hehehehehe.

Então, é isso. A gente se fala galera. A greve acabou e eu tenho provas pra reprovar ( oh, Lord! quando meus professores vão perceber que aprovação automática é uma ideia brilhante?)

beijinhos.

6 de setembro de 2012

Community

A greve acabou. Semana passada os professores perceberam que estávamos virando um bando de vagabundos e mandou voltar. Mas essa greve foi boa. É triste, pois acho que nunca mais terei "férias" de três meses até a aposentadoria. Entretanto, assisti zilhões de séries, li alguns livros e infelizmente ganhei dois quilos. Tudo bem, acontece.

das coisas sem-graça da vida que fiz nessa greve o que mais me surpreendeu foi conhecer a série Community. Eu nunca tinha ouvido falar, mas Vivi me sugeriu e eu quis assistir, tava procurando novos hobbys enquanto as novas temporadas do que eu já assistia não começavam.

Community se passa numa faculdade comunitária. Pelo que eu entendi, uma faculdade comunitária é aquele tipo de faculdade que todo mundo fala mal e que só é frequentada por quem não foi aceito em lugar nenhum. Tipo Universo. (sem preconceito, aluninhos da Universo. Eu acredito que muitos bons profissionais se formaram lá. Faculdade é algo bem auto-didata. Sem contar que acredito que existam bons professores, boas aulas sim. Mas a reputação dessa instituição não é das melhores, vcs sabem disso).

A universidade é questão é Greendale. A história é sobre um grupo de alunos da aula de Espanhol que resolvem formar um grupo de estudos. Tudo é ideia de Jeff Winger, um advogado que perdeu seu registro quando descobriram que seu diploma era falso e agora se vê obrigado a fazer faculdade para recuperar seu antigo status. Jeff cria esse grupo com o intuito de se aproximar de Britta, uma típica estraga-prazeres que só sabe reclamar (sabe como é: vegetariana, pacifista, que acha que vai consertar o mundo ao mesmo tempo que é muitíssimo mal-humorada). Ao grupo de estudos unem-se: Abed - menino meio-autista, fissurado por filmes, árabe- , Shirley - dona de casa recém divorciada que vê na faculdade a chance de recomeçar-, Pierce - um sessentão muito inconveniente que estuda pra deixar a mente ativa-, Annie - menina super-certinha que perdeu a bolsa numa grande universidade devido seu vício em pílulas-, e Troy - colega de escola de Annie, jogava futebol na escola e ainda não sabe lidar com a perda instantãne a da popularidade.

Os primeiros episódios não são muito bons, a história vai meio se arrastando. Entretanto, pelos meados da primeira temporada a hitória começa a ser apresentada sob o ponto  de vista de Abed. Abed é obcecado por filmes de modo que em um episódio o enredo se apresenta como num filme da máfia, em outro como num filme de guerra, e por aí vai. imaginação não falta. é muito engraçado porque Abed vê nas situações do dia-a-dia cenas típicas de filmes, coisas que eu também faço.



então, fica a dica.

beijos

p.s.: é o primeiro post feito do meu notebook, isso não é lindo?

29 de agosto de 2012

Janet Evanovich






Lembram que eu falei sobre um livro que tinha virado filme e eu tava muito a fim de ler? Pois então, o li há alguns dias e AMEI!

"Um dinheiro nada fácil" é a primeira aventura de uma série de chick-lits (como não amar?) escrita por Janet Evanovich. Até algumas semanas atrás eu nunca tinha ouvido falar de Janet. É, vergonhoso.

Mas vi o livro na biblioteca de Niteroi, achei a sinopse interessante e fiquei com vontade de ler, principalmente quando descobri que a história foi adaptada para o cinema.

O livro conta a história de Stephanie Plum, divorciada, desempregada e endividada. Muito endividada. Adoro personagens endividadas. Stephanie está mais que falida procurando um trabalho, quando aparece uma chance. Tornar-se caçadora de recompensas. Acontece que Stephanie é super atrapalhada, não sabe atirar, não sabe dar uma de espiã, nada disso. Traduzindo, tão pateta quanto eu. E sua primeira missão é capturar Joe Morelli, ex-policial com quem Stephanie teve um affair ( sei que essa palavra é coisa de tv fama, mas não achei substantivo melhor) durante o Ensino Médio. Acontece que Morelli é mestre no quesito sagacidade. Por isso, se capturá-lo, Stephanie recebe 10 mil dólares. Ou seja, o que não falta é motivo pra ela ir atrás dele.

O livro é ótimo, bastante engraçado, conta com personagens maravilhosos. Achei diferente que o melhor amigo de Stephanie não era uma amiga encalhada louca ou dona de casa louca como na maioria das historias, mas sim um policial casado com a prima dele. Ficou muito legal. Além disso, como o livro é do começo dos anos 90, é legal ver as pessoas se virando sem celular, computador etc.

Não é à toa que foi adaptado para um longa. "Como agarrar meu ex-namorado" - pior tradução de título que já vi! - é um excelente filme que eu achei bastante fiel ao livro. Deixaram as melhores partes, o que já é uma vitória quando se trata de adaptação. E o filme é legal mesmo, tava tudo do jeito que eu tinha imaginado. E olha que eu assisti logo depois de ler!






As aventuras de Stephanie Plum consistem de 18 livros. Sim, 18! Infelizmente, por enquanto, só os 4 primeiros foram publicados aqui. Estou louca para lê-los, mas são meio dificinhos de achar. O segundo volume da série eu só achei pra comprar no site do Extra e do Ponto Frio, e achei em um sebo de Botafogo no Estante Virtual. Assim que possível vou comprar o dois, e daí fazer o possível pra comprar o três e por aí vai... Tá difícil de achar pra achar disponível em downloads ilegais.


Aproveitando, quando devolvi "Um dinheiro nada fácil", peguei outro livro de Janet, "Garota Metro Sexy". Também é excelente!! Por sorte, o segundo volume desse tem na biblioteca e eu vou poder ler 0800, hehehe












beijinhos, see ya!

22 de agosto de 2012

La Familia

Sabe, eu creio que todas as famílias são especiais. Algumas são fofas, outras confusas mas... nunca, nunca, nenhuma será tão sem noção quanto a minha. Sinto que Deus me enviou pra cá pra tentar colocar um cadinho de juízo na cabecinha de cada um. Quero dizer, tenho uma bisavó que parece a Dercy Gonçalves, um avó que parece seu Xalita, um pai que parece Michael Kyle e uma mãe que é idêntica a Rochelle. Meu irmão é mais interesseiro que Cory, irmão de Raven, e minha tia tem uma imaginação.... parece até a mãe do Barney, de How I met yout Mother! (sim, nessa greve eu tenho assistido a mts séries).

E quando a gente tem uma família enorme que conta com uma tia solteirona, uma tia reclamona, uma tia imaginativa, uma mãe pobre-soberba, um pai que viaja total, um avô apaixonado por sexo, uma bisa que adora falar sacanagem, um tio brincalhão, e nenhum deles tem dinheiro, a coisa começa a partir pro campo da loucura. E eis eu, uma criatura, linda, iluminada, ajuízada.

Daí resolvi falar de alguns personagens de minha família. Sem problemas, só quem lê meu blog é minha mãe, e de vez em quando.

Mamãe:
A encarnação da Rochelle. Sim, ela vai ficar puta, digo, revoltada quando ler isso. Mas mamãe é do tipo que adora ostentar, é como pobre-soberba. Por exemplo, ela não admite encontrar pessoas que estudaram com ela sem estar com as unhas impecáveis. Quero dizer, nem a Ana Hickman fica 24 hs com as unhas impecáveis! Mas pra mamãe ter unhas pintadas com base é sinal de estar falida. É, não faz sentido. Se eu coloco um tipo de roupa pra sair ela já fala logo: " está louca? você está indo na padaria? Mas que sem graça!".
Não culpo mamãe, ela puxou a vovó. Segundo mamãe, uma vez elas estavam no Supermercado quando minha avó viu uma conhecida da cidade dela de longe. Jogou no carrinho muitas embalagens de leite condensado, Coca-Cola, sorvete. Mamãe ficou com uma interrogação na cabeça. Vovó passou pela mulher, cumprimentou, e quando a conhecida saiu do mercado jogou tudo de volta nas prateleiras.

Mamãe também faz o tempo render absurdamente. Mais que o pai do Chris. Ela tem dois empregos, faz faculdade e cuida da casa.

Papai:
Papai é doente. Hipocondríaco toda a vida, toma zilhões de remédios desnecessariamente. Por exemplo, todos os dias ao acordar ele toma uma neosaldina antes que sinta dor de cabeça. Não, ele não me escuta quando falo sobre medicamentos e como eles viciam.
Papai também tem um complexo de cercar todas as possibilidades. Por exemplo, todos os dias quando saio de casa ele me diz pra sentar no meio do onibus, nem na frente, nem no fundo. Afinal, se o onibus bater de frente ou na traseira estou a salvo. Ontem eu brinquei com ele: "é pai, mas e se for num cruzamento..." Ele me olhou e disse que cruzamento atinge qualquer lugar do ônibus. Ou seja, só teria 33% de chance de ser atingida em um dos tipo de acidente. Muito otimista, pai.

Teco: 
Meu irmão é louco, engraçado toda vida. Implicante, de vez em quando baixa um Adalto (de Av. Brasil) e solta umas verdades que não fazem lá muito sentido. Extremamente interesseiro, só gosta de tudo o que é do bom e do melhor. Não é à toa que seus pertences não são numerosos. Não somos ricos.

Vovó Pomposa:
Uma figuraça. Mãe da mãe da minha mãe,dona Maria Pomposa (sim, Pomposa é nome!) adora falar palavrões, sacanagem e fuma 40 cigarros por dia desde os 14 anos ( ela tem 87). Pão dura, adora arrumar uma confusão.
Certa vez mamãe e vovó Pomposa estavam no mercado de peixe de Niteroi, um dos mais famosos do país. Estavam escolhendo peixe enquanto uma mulher enfiou a mão no bolso de vovó e pegou seu dinheiro. Vovó agarrou o braço da mulher e...

ATENÇÃO, AS PALAVRAS ABAIXO USADAS SÃO DE BAIXO CALÃO. SE QUER MANTER SUA MENTE PURA, PULE PARA O PRÓXIMO PARENTE.

- Sua piranha! Quem você pensa que é pra me roubar?
Forma-se um círculo em volta.
- E você, sua palerma, não vai me defender? - vovó falou pra mamãe.
Mamãe continuou estatica.
- Puta que pariu! Tu não serve pra nada mesmo! Anda, sua puta, devolve meu dinheiro!
Minha vó empurrou a ladra pra longe e todas as pessoas que circulavam no mercado expulsaram a mulher dali e lançaram sorrisos de apoio à vovó.
- Porra, Luciana, fica esperta!  - vovó disse para mamãe e continuou às compras como se nada tivesse acontecido.

Tia Giovana
 Mais que louca. A irmã mais velha da minha mãe é extremamente exagerada. Ela conta para as minhas priminhas historias de monstros duvidosos, como o homem que transforma as crianças em lâmpada, o homem que tranforma crianças em botijões de gás e o lagarto que come as próprias patas. Minha tia diz que conversa com gente morta e que a gente nunca deve beijar um cara sem saber se ele tem alguma cárie antes. Da última vez que ela veio aqui ela apontou da janela pra um motel que fica aqui perto e falou que costumava ir ali com meu tio quando era solteira. Detalhe, as filhinhas puritanas dela estavam no recinto.
Agora, se você acha que acabou por aí, nada disso. Minha tia, que embora fosse uma das moças mais bonitas da cidade dela nos anos 80( até hoje vovó Pomposa não se recuperou de tia Giovana não ter sido eleita Miss Cachoeiras de Macacu), é compradora compulsiva e dá aulas de matemática todos os dias da semana, de manhã, à tarde E à noite. E faz congelados pra fora.

Tia Nina
 Embora o verdadeiro nome da irmã caçula de papai seja Lucia, ngm chama tia Nina de Lucia. Ela tem 40 e poucos anos e mora com vovó ainda. Ela reclama que todo mundo é feliz, tem marido e filhos, menos ela. Quando a gente sugere que ela volte a estudar pra conhecer mais pessoas ( e quem sabe o tão sonhado marido) ela diz que está velha pra isso. Quando a gente fica estimulando-a a fazer um curso profissionalizante e trabalhar, ela fica dando pra trás.
Teve uma vez em que a gente foi lá e ela disse pra minha mãe que estava pensando em fazer um curso de depilação. Mamãe ficou toda feliz: " Que bom Nina, você vai poder trabalhar, ganhar seu dinheiro, conhecer pessoas..." Minha tia cortou mamãe: " Luciana? eu estava pensando em fazer o curso pra Eu ME depilar, tá?"
Desse dia em diante, desisti da minha tia.

Outro dia eu continuo,vcs devem estar cansados, hehe.

beijos.

ps.: e vc, qual o seu parente insano?

9 de agosto de 2012

Sabem quando coinscidencias acontecem e vc vê que é coisa do destino? Não, não ganhei na loteria, não achei o amor da minha vida nem descobri que sou adotada ou algo do tipo " algm que eu conheci na internet é meu parente". Nada disso. Depois que segui o conselho de Juliana e assisti ininterruptamente as sete temporadas de How I met your mother,  fiquei sem ter um hobby e fui conhecer a Biblioteca Municipal de Niteroi, que foi reinaugurada ano passado e de onde eu só ouvia elogios. Ela é linda, o acervo é ótimo e o ambiente agradabilíssimo. Cheio de chick-lits pra pessoas não tão cultas como eu se divertirem. Daí que eu peguei um livro da Sophie Kinsella, Menina de Vinte, super legal, e A garota da capa vermelha. Menina de Vinte eu li de boa, toda contente e A garota da capa vermelha pareceu muito chato e vou devolver amanhã. Daí que quando eu devolvi Menina de Vinte, peguei Um dinheiro nada fácil, ( pq pode ficar com 2 livros por vez) que eu nunca tinha ouvido falar, mas a sinopse parecia legal.

Daí que hoje eu passo na locadora e pergunto a atendente qual filme bom ela me indica. E ela de "Como agarrar meu ex-namorado". Pego o filme, olho a sinopse e tcharam: é a msm historia de Um dinheiro nada fácil! Óbvio que peguei outro filme, vou ler o livro primeiro.
Acabei de pesquisar e vi que esse é só o primeiro volume de 18, sim, DEZOITO livros! Viu? Novo hobby encontrado!
 18 livros - Challenge accepted!

hahaha, beijinhos

24 de junho de 2012






Meu, eu NUNCA fiquei tanto tempo sem postar. Nunca. Estava no maior desânimo. E olha que eu nem engordei não (geralmente é o que mais me desanima). Era um desânimo, sei lá, de tudo. Meu computador até que está rapidinho (coloquei internet a rádio que é mais rápida, sem contar que ele foi formatado por um imbecil master que não pôs de volta meus programas que convertem vídeo nem meus episódios de glee. Pois é todos os episódios de glee. Eu tinha. com legenda original. Filho da mãe.)
Acontece que o desânimo, a falta de dinheiro pra comprar um computador próprio e uma mãe que faz faculdade à distância não colaboraram muito. Mas deixa pr alá. Só vim postar porque realmente eu estava sem ter o que fazer. Como cheguei a esse ponto? Antes eu amava escrever, postar. Agora... puft! as ideias somem.

estou em greve na faculdade há 2 semanas,  logo também tenho dito bastante tempo. Estou até me dando ao luxo de dormir 9 horas por noite. Então há algum tempo eu tenho pensado sobre o quê postar quando voltasse. Não tive nenhuma ideia que preste (espero que elas surjam rapidamente) e resolvi comentar sobre a pirataria. Coisa feia, né? Mas eu faço. E vc, tbm? é somos um bando de bandidos.

Não é sobre a pirataria, mas sim sobre os seriados. Sim, porque há cerca de um ano desenvolvi a incrível maldade em meu ser de roubar seriados da internet. É, podem me prender. Daí eu resolvi então comentar sobre os seriados que assisti nesse meio tempo. Let's go?


01. Dexter


Sem dúvida, o melhor seriado de todos os tempos. Não que eu tenha experiência, mas é porque é bom demais pra ter algum melhor. Ela é surpreendente sem sair muito da realidade. Boa demais. Pra quem não conhece, Dexter é um psicopata que vive em Miami. Só que ele é um psicopata que respeita várias regras pra não ser pego. E a principal delas é só matar quem é assassino. Assim ele sacia sua "sede"(?) de matança sem chamar a atenção dos outros. Trabalhar no departamento de homicídios de Miami é perfeito para Dexter. Assim, ele tem acesso às fichas criminais das próximas vítimas e acompanha as investigaçãoes de perto. Dexter é demais mesmo. Lindo, inteligentíssimo, e com um senso de justiça ao mesmo tempo óbvio e confuso. Dexter é psicopata, não ama. Então ele também tem o problema de como se aproximar das pessoas, como conviver com elas. Tem uma irmã super legal, Debra, e uma namorada muito gente boa, Rita. Passar-se em Miami dá ao seriado um ar latino muito gostoso, que faz com que eu me sinta confortável. Sabe como é, eu não preciso assistir e ficar imaginando  o quão frio é a neve, porque não tem neve.

Já tinha ouvido falar do livro e assisti a primeira temporada pela televisão, na redetv, no ano passado. Claro, eu saí então correndo atrás das outras temporadas na internet e no começo deste ano acabei de assistir a 6ª. Eu. Preciso. De. Dexter. Sério, ele é demais. Se você nunca assistiu dá o seu jeito de ver correndo. Procura nos canais de tv, compra o box em 5x sem juros na submarino, se vira. Não se arrependerá.


02. The Big Bang Theory

A melhor forma de desestressar. Também assisti o primeiro episódio na tv, no sbt e achei engraçadinho. Daí baixei o resto e.... meu Deus, como eu ri! é absurdamente engraçado. 

A história começa quando Penny, linda e loura, torna-se vizinha dos supernerds Leonard e Sheldon. Leonard desenvolve uma paixão platônica por Penny, que torna-se amiga dos dois e frequenta seu apartamento sempre. Ainda há Howard e Raj, dois amigos nerds de Sheldon e Leonard que unem-se ao elenco principal. Não tem como não rir, principalmente com Sheldon. Sheldon é obcecado por contratos (contratos de rommate, contratos de amizade etc), é irritante e adorável. Muito criativo, Sheldon gosta de trens, histórias em quadrinhos, e muita física. Não há dúvidas de que, com o passar das temporadas, Sheldon ganha muito mais atenção que o casal Leonard e Penny, de tão engraçado que é.


03. Glee

Preciso falar? Acho que não né? Fofura demais, talento demais, pra uma só série, apenas isso.




http://img256.imageshack.us/img256/5702/thementalist.jpg04. The mentalist

Meu irmão que começou com isso. Teco é maior metido a inteligente e desde que assistiu alguns episódios na televisão, não me deixou em paz. Era, Patrick Jane é demais pra lá, Patrick Jane é sinistro pra cá.
Daí ano passado eu comprei a primeira temporada no submarino para dar de presente a ele. Estava numa liquidação a 29,90, daí achei que valia a pena. Acabou que eu também fiquei meio viciada na série. Não muito, só o suficiente pra querer assistir.
Patrick Jane bancava de médium pra ganhar a vida. Até que um dia enfrentou Red John, um assassino em série, na televisão. Quando chegou em casa, encontrou filha e esposa mortas. Jane então deixou a vida de médium pra trás e foi trabalhar com o CBI , centro de investigações da California, contribuindo com sua sagacidade para encontrar os assassinos dos crimes que investiga. Ao mesmo tempo, ele procura, dentro da polícia, um meio de achar Red John e se vigar doq ue aconteceu a sua família. Bem humorado e às vezes enigmático, o simpático e esperto Patrick Jane nos leva para aventuras a la CSI, onde ele monta armadilhas para os assassinos em cada episódio. Ao longo das temporadas, a gente também acompanha a história dos seus colegas de equipe Teresa Lisbon, Grace Van Pelt, Kimball Cho e Wayne Rigsby, além da amizade e companheirismo que cresce entre eles.

05. Once upon a time

Quem me contou dessa série foi Stephanie. Daí eu quis baixar pra assistir e... que série boa!

Na terra dos contos de fadas, a rainha má (madrasta de Branca de Neve) lança uma terrível maldição. Todos serão enviados para uma cidade no nosso mundo, onde ficarão congelados no tempo e não se lembrarão de quem são. Apenas uma pessoa consegue ser salva da maldição, a filha recém nascida de Branca de Neve, Emma. Emma carrega um encanto, quando completar 28 anos ela deve voltar a cidade pra quebrar a madição. Acontece que Emma é criada em orfanatos e, no seu aniversário de 28 anos, encontra o filho que enviou para a adoção quando tinha 18 anos. O menino, Henry, havia encontrado um livro que explicava tudo o que aconteceu e tenta convercer Emma a ir até Storybrooke, a cidade onde vivem os personagens. É claro que a princípio Emma não acredita em nada disso, mas coisas estranhas começam a acontecer. A história pode parecer confusa, mas não é não. É muito boa, surpreendente e a cada capítulo a gente conhece mais sobre cada personagem. Estão presentes Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, Cinderela etc. Todas as historias se entrelaçam e formam uma trama muito boa.


Acontece pessoal, que vocês já devem ter ouvido falar de todas essas, inclusive assistido. Pois então, depois disso, alguém tem alguma sugestão sobre qual seriado eu possa começar a assistir já que a universidade está em greve e eu assisti todos os episódios existentes das séries acima?
Ouço falar em true blood, mas dizem que existem umas cenas meio complicadas de ver em família, digamos assim, e eu não preciso de mais problemas em casa. Também tem Vampire Diaries, mas eu não aguento mais ver vampiro no mundo. Então, sugestões?

beijinhos

1 de abril de 2012

There is love

Como meus leitores bem devem saber, eu sou um ser humano de vida amorosa praticamente inexistente. Isso não me preocupa, porque entrar em um relacionamento pode me levar a me apaixonar pelo cara, o que causará um sério problema daqui a 10 anos, quando eu casar com o príncipe Harry.

E mesmo se eu não fosse casar com Harry, isso não seria um grande problema, porque algumas pessoas têm que ser solteiras. Quero dizer, se Madre Teresa tivesse casado e tido dois filhos não seria tão famosa.
De qualquer forma, acredito sim no amor, mas acho que é perfeitamente normal que não seja pra sempre porque nada é imutável. E quando as pessoas dizem que hoje em dia dizer "eu te amo" é banal, calem-se todos, essas pessoas muitas vezes realmente amam. E porque antigamente as pessoas não diziam "eu te amo" à toa, elas casavam obrigadas e eram proibidas de se separar e muitos casamentos eram mais infelizes que os de hoje. Ou seja, era uma grande merda.

Estou falando disso porque procurava um assunto pra comentar e vi um post sobre o amor no Luz de Luma. o post falava sobre um amor do passado de Carmem Miranda. Daí lembrei que estou há anos pra postar a história de amor mais linda que já ouvi falar. A história é verdadeira e aconteceu na minha família. Prepare-se para se emocionar e não terminar de ler o texto até o final.

"Estamos em 1960, em Cachoeiras de Macacu, cidade a cerca de 100km do Rio de Janeiro. A mocinha em questão é Vladir, uma moça muito bonita de 16 anos, filha de um dos maiores fazendeiros da região. Vladir e seus lindos vestidos adoravam passear pela cidade. Afinal, seu pai além da fazenda mantinha uma casa num dos melhores bairros do centro. e nessa época Vladir vive um desses namoros bonitos, de risadas prazerosas, com Erasmo, um rapaz simples, músico. Era desses namoros que quem teve adora lembrar e quem não teve sente pena de si mesmo ( o/).

Mas Vladir foi mandada pelos pais de volta pra fazenda. Antes de ir encontrou-se com Erasmo, e pediu que lhe escrevesse.
Na fazenda, Vladir esperava ansiosamente as cartas ou bilhetes de Erasmo, notícias que nunca chegavam.
Acredita-se que essas cartas foram desviadas por um dos funcionários da fazenda a mando de uma das primas de Vladir. Dizem que a moça, muito da feiosa, morria de inveja da prima bonita e apaixonada, recolhendo as cartas para si antes que chegassem a bela mocinha.
Enquanto isso, Erasmo escrevia mais e mais cartas, que nunca chegavam a amada. Sem ter respostas, restou-lhe pensar "Mas o quê uma moça bonita e de boa família veria em mim, um pobre músico que não faz sucesso, de família desconhecida?".
Na fazenda, só restava a Vladir chorar e ficar triste, sentir-se abandonada pelo rapaz que dizia amá-la. Talvez nesse tempo conhecera uma outra moça melhor, quem sabe? Provavelmente nem lembrava mais dela.

Pouco mais de um ano depois Vladir casou-se, mais por influência dos outros que por vontade própria. As notícias de suas bodas chegaram a Erasmo, que estava na cidade. A primeira coisa que passou por sua cabeça foi que realmente a moça o havia ignorado. O noivo de Vladir, José, era um rapaz bem empregado e lhe daria a segurança financeira que ele não podia. Talvez fosse melhor assim.

Vladir teve quatro filhos e foi morar no centro da cidade com a família, mas não viu mais Erasmo. Entretanto, sempre pensava no seu amor do passado e no quanto gostaria de ter notícias suas.
Erasmo às vezes via Vladir passando pela rua de longe e sentia uma vontade absurda de ir atrás dela. Mas sabia que não era prudente. Ela era uma mulher casada, com quatro filhos, de vida séria. Ele ainda vivia de sua música e estava se tornando um solteirão. Pois é, Erasmo nunca se casou nem teve filhos.

Em 2005, após mais de  40 anos de casamento Vladir ficou viúva. Se ver sozinha com mais de 60 anos levou Vladir de início à depressão, mas depois a vida foi melhorando e ela começou a aprender a viver uma vida mais individual. Num dia desses uma amiga de Vladir a chamou para uma visita.
E qual foi a surpresa de Vladir ao ver quem também estava lá, ansioso por vê-la: era Erasmo!

Sim, o Erasmo de sua juventude, de quem ela sentia falta, morria de saudades dela. Daí, não teve mais jeito, a paixão adolescente voltou com tudo!

Hoje eles namoram de um jeito que só vendo. Ele vai visitá-la a noite, saem muuuito juntos e fazem todo o possível para recuperar o tempo perdido."

Vladir é minha tia-avó, irma de vovó Dalma. Há alguns anos atrás, em uma de minhas estadas em Cachoeiras de Macacu fui visitá-la. Era de noitinha e ela falou: "Peraí que vocês têm que conhecer Erasmo!" Na mesma hora tia Vladir pegou o telefone e daí eu só ouvi: " Erasmo, vem cá, minha sobrinha tá aqui com a família dela, eles vão te adorar!".
E não deu em outra. Um senhor muito bem humorado, de boa aparência e educado chegou na casa de tia Vladir numa moto e veio cumprimentando todo mundo. Ambos sentaram-se e nos contaram sua história.
Nessa hora, Jardel, primo mais novo de mamãe, passou na sala e disse: "Erasmo, me empresta sua moto pra eu ir na casa da minha namorada?"
"Claro, meu filho, pode ir. Não se preocupa, depois eu volto pra casa andando ou de bicicleta", respondeu com sinceridade.
Depois que Jardel partiu ele olhou nos olhos de papai e disse: "Se tem uma coisa que eu queria é que esses garotos fossem meus filhos."
Mas acho que não há dúvidas de que Vladir e Erasmo são a prova viva de que nunca é tarde pra correr atrás da felicidade.

Sim, é de emocionar.

Porque amor existe.



31 de março de 2012

Você, cara criatura humana, que entrou no meu blog porque se espantou ao ver uma atualização ( no caso de seguidor), que fez a ultima tentativa de visita ( leitor não seguidor) mas não os que caem aqui por acaso deve estar se perguntando por quê será que eu voltei a postar depois de 2 meses e 2 dias. Prepare-se para o sobrenatural.

Sim, sobrenatural, porque meu computador ficou sem me obedecer por dois meses. E quando digo sem me obedecer é sem ME obedecer mesmo, porque continuava obedecendo minha mãe, meu pai e mau irmão. Era só eu sentar e travava. O Mozilla parou de funcionar ( aqui em casa cada um fica logado num navegador, eu uso o mozilla) e qdo eu usava o Explorer ou o Chrome travava. Fiz um escaneamento para vírus e não deu nada. Faz sentido, explica porque obedecia aos outros habitantes da residência. Mas não explicava porque o problema comigo.

Fiz um post mó legal no começo de fevereiro, mas não consegui postar porque meu pc não me obedecia.

Daí, do nada, essa semana vejo meu pai conferindo o resultado da loteria usando o Mozilla. Sentei no computador e ele começou a funcionar normalmente. Antes eu sofria muito aqui, mas do nada começou a funcionar perfeitamente de quarta feira pra cá. Vai entender. Antes 5 min no facebook e travava. Hoje eu até peguei as fotos de um trabalho tranquilamente.

De verdade, não entendo.

Mas volto em breve com posts se meu computador continuar bonzinho.

beijos

29 de janeiro de 2012

Perdendo o fio da meada...

Como vocês bem sabem, eu sou uma criatura tipicamente acima do peso. Calma, meu manequim não é 50, não como dois hambúrgueres seguidos, nada disso.

Mas, assim como Heather Wells ( personagem da diva Meg) meu manequim é 42, o que me afasta dos padrões de beleza.

Há pouco mais de um ano eu fiquei desesperada quando subi numa balança e ela registrou 78 kg. Nunca tinha ido tão longe. Chorei, fiquei triste e entendi a razão de ter popularidade zero e estar "encalhada" como diriam alguns.
( e se algm vier me falar "mas vc tem um rostinho tão bonito..." morre, ok?)

Eu tenho 1,61 m, e ter 78 kg levou meu IMC às alturas. O que era uma puta falta de sacanagem, se é que vocês me entendem. Então quando chegaram as férias de fim de ano tomei vergonha na cara, proucurei uma nutricionista ( não usem dietas de endocrinologistas. Além de não estarem capacitados pra isso elas nunca dão certo) e me matriculei na academia. Mas nas férias tudo é fácil, não é mesmo? Você pode se dar ao luxo de gastar três horas diárias na academia, de comprar suas verduras e fazer sua salada, de ir ao supermercado escolher as melhores frutas, ah como é lindo! Sem contar que você não fica nervosa e sua cabecinha não pede overdose de chocolate e café com leite integral.

E aí consegui chegar com 68 kg ao mês de março. Que diferença! Eu sei que 68 kg ainda parece que sou obesa, mas nem tanto, porque minha bunda e minhas pernas não negam os genes afrodescendentes que estão em minhas células. Agora eu já conseguia andar sem estar complexada, conseguia ir à praia de biquíni sem tanta vergonha, usava minhas blusinhas sem achar que meus bracinhos gordos estavam explodindo.

 














antes                                                   depois




Não estou aqui pra defender que todos devem ser magrelos ( até porque há uns doze anos não sei o que é ser magra ) mas uma enxugada pode melhorar muuuuuito a nossa auto-estima. Não que depois disso eu tenha arrumado um namorado, acho que já é um problema crônico( entretanto, acho que é melhor assim. Quero dizer, sem grana do jeito que vivo, não estou podendo incluir no mínimo três despesas anuais no meu orçamento - presentes de aniversário, natal e 12 de junho).

Entretanto, ao longo do ano letivo, a faculdade não me ajudou muito. Por razões óbvias tive que sair da academia ( quando a gente sai de casa às 5:40 e chega no mínimo às 19:30 não sobra muita energia) e fui ficando sem tempo de fazer minha saladinhas tão sem calorias. Tomei litros de café e comia quase que um bombom por dia, acreditem. Não deu outra, acabei engordando. Não sei ao certo, porque tive medo de me pesar. É, eu sei. Na última vez que subi numa balança, há uns seis meses, deu 69 quilos e alguma coisa, então eu acho que passei dos 70 e tenho medo de subir.

Prometi que essas férias faria um novo projeto desses pra perder uns 3 quilinhos pelo menos, mas pela primeira vez em cinco anos não fiz o projetinho "emagreça nas férias", que agora foi batizado de "só na fineze" (rs) por Sthefane.
Em dezembro estava vendo Legendários com mamis ( não que eu assista Legendários - acho chato - mas nesse dia eu vi) e Marcos Mion falou de ginástica a la Jane Fonda nos anos 80.

"
- Mãe, na década de 80 não existia musculação?
- Não.
-Era ginática a la Jane Fonda o que a senhora fazia na academia?
- Era ginática, Luma.

Ai, meu Deus. Eu não acreditei que...
- ... a senhora usava aquela fitinha estranha na cabeça?
Diz que não, diz que não, diz que não.
- Era moda.

Pronto, agora não dá pra esquecer. Veio a minha cabeça uma imagem de mamis e e sua amiga de adolescência, Silvinha, fazendo ginástica com fitinha na caeça sendo orientadas por aquele professor estranho de Norbit.

- A senhora tinha um professor estranho com fitinha?
-Era uma professorA Luma.

Menos mal."



Depois desse episódio de minha vida resolvi que precisava voltar a malhar. Não por mim, mas pela humanidade. Era um desperdício eu viver numa sociedade que possui musculação e não utilizá-la.
(assim como é um desperdício você ter internet e não visitar meu blog, no mínimo, mensalmente)
Mas quem disse que fui pra academia? O projeto fineze tomou outros rumos.

Comecei a ter problemas no estômago, que doía muito, e finalmente tomei vergonha na cara e dinheiro no bolso pra ir ao gastro.
- Então, Luma, o que você tem?
- O lance é o seguinte. Meu estômago tá me sacaneando. Tudo bem que nos últimos dois anos com vestibular e faculdade eu tomei muito café e tenho ficado nervosa, mas tá demais. Ele dói quando eu fico mais de três horas sem comer, e depois que como parece que ele incha horrores. Me sinto um monstrinho mutante.
- Você faz faculdade de quê?
- Medicina.

Nessa hora o médico olhou pra mim e riu. Disse que isso era comum  e que eu estava me estressando demais. Passou uma porrada de remédios ( estou me sentindo uma velhinha diabética, hipertensa e com artrite com tantos remédios ) e disse pra eu ficar calma.

Falou que nada de :  cafeína, chocolate, refrigerante, condimentos...

Peraí, se eu não posso tomar café nem chocolate nem guaraná em pó nem nada disso...

- Doutor, como eu vou ficar acordada na aula?
- Você tem que dormir bem durante a noite, umas oito horas.

E é nessa hora que você quer mandar todo mundo pro inferno. Porque é muito fácil falar pra algm que ela deve dormir 8 horas por noite. A merda O problema é que essa pessoa não tem oito horas disponíveis.

Quero dizer, se eu chego em casa às 19:30, tenho que tomar um banho, arrumar minhas coisas e jantar umas 20:00. Daí, tenho que esperar três horas antes de dormir, pro meu estômago aguentar. Então, durmo às 23:00. Mas eu tenho que dormir oito horas por noite, então devia acordar umas 07:00. Mas às 5:40 eu tenho que estar no ponto de ônibus ou eu perco minha carona, alllow!

Além disso eu tenho que ficar longe das pessoas estressadas, como papai ( pessoa mais estressada que já vi na vida) e meus coleguinhas da faculdade que só sossegam com CR=10.

Ótimo, então além de ter que parar no tempo no meio da noite pra poder dormir as oito horas seguidas, ainda tenho que me afastar do meu pai e nunca mais conversar com pessoas desesperadas como Sthefane, Stephanie e Vinicius. Ótimo.

Agora que perdi minha familia, meus amigos e descobri que preciso fazer uma maquina do tempo eu vou ficar muito mais tranquila, obrigada.

Eu, a fatura do meu cartão de crédito, minha ausência de salário ou mesada, e meu IMC acusando sobrepeso. Todos juntos e felizes, uhum. Senta lá.