31 de julho de 2010

Vida

Anteontem eu estava sentada no ônibus, quando uma mulher sentou ao meu lado. Ela estava lendo um panfleto sobre o aborto, e porque isso é um crime ( algo que concordo). É por isso que hoje eu senti vontade de vir aqui escrever sobre isso.

Antes de qualquer outra coisa, quero dizer que o que forma a minha opinião não são argumentos religiosos, antiquados. Eu não sou aquela "defensora do tradicional" com tudo. Pelo contrário, eu procuro entender um monte de situações pelos balanços felicidade - sofrimento - preservação da vida. Sim, porque eu acho que a vida deve sim ser preservada, SEMPRE.
  ( Aproveitando, deixo publicado: se eu estiver em estado vegetativo daqui a 50 anos, não me matem por eutanásia, não quero morrer à míngua. Se eu morrer de morte cerebral, podem doar todos os meus órgãos. Talvez podem até doar meu corpo pra pesquisas, embaixo da terra ele não terá nenhuma utilidade.)


Todos os anos, cerca de 50 milhões de abortos são feitos no mundo. Particularmente, eu acho que esse número é bem maior, pois em países onde essa prática é proibida os números são bem defasados.

Antigamente, as práticas abortivas eram muito perigosas ( e ainda são). Por isso, em muitas culuras, era comum o "infantício". Isto é, a mulher descobria que estava grávida, mas sabia que, se tentasse abortar, corria o risco de morrer também. Esperava-se então a criança nascer e matavam o recém-nascido. (quando, no século XVI, europeus chegaram ao Japão, ficaram espantados com a frequência dessa prática na sociedade japonesa). No século XIX, com a descoberta de como ocorria a concepção ( a junção de óvulo e espermatozóide e o desenvolvimento do embrião no útero materno), os médicos começaram uma campanha para evitar o aborto. Suas frases eram "a vida humana começa na concepção" e "adoção ao invés de aborto". A partir daí que o aborto passou a ser proibido em quase todo o mundo.

No século XX que o aborto começou a ser permitido em alguns países. Hitler, por exemplo, permitia o aborto. O porquê? Bem, na Alemanha nazista, havia práticas de extermínio que visava a exaltação da raça ariana em detrimento das outras. Mulheres arianas que tinham muitos filhos da "raça pura" eram premiadas enquanto para a população não-ariana era estimulado o uso de práticas abortivas.

A maioria dos abortos são feitos nos primeiros três meses de gestação. Observe como está o desenvolvimento embrionário nas primeiras 16 semanas:


Semana 0 
A concepção é o momento no qual o esperma penetra no óvulo. Uma vez fertilizado denomina-se zigoto, até que alcance o útero 3-4 dias mais tarde.
Semana 2
O embrião pode flutuar livremente no útero por 48 horas, antes da implantação. Após a implantação, ligações complexas entre a 
mãe e o embrião desenvolvem-se para formar a placenta.
Semana 4
O embrião tem 4-6 mm de comprimento. Um coração primitivo começa a bater. Cabeça, boca, fígado e intestinos começam a tomar forma.
Semana 8
O embrião tem agora cerca de 25 mm de comprimento. Traços faciais, membros, mãos, pés, dedos e unhas tornam-se aparentes. O sistema nervoso está receptivo e muitos dos órgãos internos começam a funcionar.
Semana 12
O feto tem agora 5-8 cm de comprimento e pesa quase uma onça (28,35 gramas) – 10-45g. Os músculos começam a desenvolver-se e os órgãos sexuais a formar-se. Começam também a formar-se as pálpebras, as unhas das mãos e as unhas dos pés.
Podem ser observados movimentos espontâneos da criança.
Semana 16
O feto tem agora cerca de 9-14 cm de comprimento. A criança pestaneja, agarra e move a sua boca. O cabelo cresce na cabeça e o pêlo no corpo.

Os principais métodos de aborto são feitos a partir de envenenamento do feto por substâncias químicas ou então em clínicas onde procedimentos "despedaçam" o feto ainda "vivo", cortando e arrancando partes de seu corpinho.
Fico me perguntando em como existe quem consegue fazer algo assim, é um assassinato. Como matar um ser que está dentro da mãe, querendo crescer, querendo nascer, só pedindo uma chance para viver? E a mãe, que é tudo com quem essa futura criança pode contar nesse momento, vai lá e o liquida friamente. Bem, sabemos que isso é muito comum. Dados revelam que, pelo menos 1 em cada 5 mulheres já fez algum aborto.
Acho um absurdo em mundo onde existem tantos métodos contraceptivos, as pessoas chegarem a esse ponto. E acho que, uma vez ocorrida a concepção, que a mãe entregue o bebê para a adoção após nascido, que nem a menina de Juno.

beijos,

P.S.: acho que uma exceção para o aborto é quando a própria vida da mãe está em risco. Afinal, antes só o feto morrer do que mãe e filho.
Fontes: (vocês não acharam que eu sabia essas informações todas de cor, né?)

http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3769&ReturnCatID=763

http://vida.aaldeia.net/

http://aborto.aaldeia.net/

Um comentário:

  1. não poderia concordar mais com tudo o que vc disse.
    foi bom vir aqui, estava com saudades.

    tudo de bom,
    beijos luminha ;*

    ResponderExcluir

31 de julho de 2010

Vida

Anteontem eu estava sentada no ônibus, quando uma mulher sentou ao meu lado. Ela estava lendo um panfleto sobre o aborto, e porque isso é um crime ( algo que concordo). É por isso que hoje eu senti vontade de vir aqui escrever sobre isso.

Antes de qualquer outra coisa, quero dizer que o que forma a minha opinião não são argumentos religiosos, antiquados. Eu não sou aquela "defensora do tradicional" com tudo. Pelo contrário, eu procuro entender um monte de situações pelos balanços felicidade - sofrimento - preservação da vida. Sim, porque eu acho que a vida deve sim ser preservada, SEMPRE.
  ( Aproveitando, deixo publicado: se eu estiver em estado vegetativo daqui a 50 anos, não me matem por eutanásia, não quero morrer à míngua. Se eu morrer de morte cerebral, podem doar todos os meus órgãos. Talvez podem até doar meu corpo pra pesquisas, embaixo da terra ele não terá nenhuma utilidade.)


Todos os anos, cerca de 50 milhões de abortos são feitos no mundo. Particularmente, eu acho que esse número é bem maior, pois em países onde essa prática é proibida os números são bem defasados.

Antigamente, as práticas abortivas eram muito perigosas ( e ainda são). Por isso, em muitas culuras, era comum o "infantício". Isto é, a mulher descobria que estava grávida, mas sabia que, se tentasse abortar, corria o risco de morrer também. Esperava-se então a criança nascer e matavam o recém-nascido. (quando, no século XVI, europeus chegaram ao Japão, ficaram espantados com a frequência dessa prática na sociedade japonesa). No século XIX, com a descoberta de como ocorria a concepção ( a junção de óvulo e espermatozóide e o desenvolvimento do embrião no útero materno), os médicos começaram uma campanha para evitar o aborto. Suas frases eram "a vida humana começa na concepção" e "adoção ao invés de aborto". A partir daí que o aborto passou a ser proibido em quase todo o mundo.

No século XX que o aborto começou a ser permitido em alguns países. Hitler, por exemplo, permitia o aborto. O porquê? Bem, na Alemanha nazista, havia práticas de extermínio que visava a exaltação da raça ariana em detrimento das outras. Mulheres arianas que tinham muitos filhos da "raça pura" eram premiadas enquanto para a população não-ariana era estimulado o uso de práticas abortivas.

A maioria dos abortos são feitos nos primeiros três meses de gestação. Observe como está o desenvolvimento embrionário nas primeiras 16 semanas:


Semana 0 
A concepção é o momento no qual o esperma penetra no óvulo. Uma vez fertilizado denomina-se zigoto, até que alcance o útero 3-4 dias mais tarde.
Semana 2
O embrião pode flutuar livremente no útero por 48 horas, antes da implantação. Após a implantação, ligações complexas entre a 
mãe e o embrião desenvolvem-se para formar a placenta.
Semana 4
O embrião tem 4-6 mm de comprimento. Um coração primitivo começa a bater. Cabeça, boca, fígado e intestinos começam a tomar forma.
Semana 8
O embrião tem agora cerca de 25 mm de comprimento. Traços faciais, membros, mãos, pés, dedos e unhas tornam-se aparentes. O sistema nervoso está receptivo e muitos dos órgãos internos começam a funcionar.
Semana 12
O feto tem agora 5-8 cm de comprimento e pesa quase uma onça (28,35 gramas) – 10-45g. Os músculos começam a desenvolver-se e os órgãos sexuais a formar-se. Começam também a formar-se as pálpebras, as unhas das mãos e as unhas dos pés.
Podem ser observados movimentos espontâneos da criança.
Semana 16
O feto tem agora cerca de 9-14 cm de comprimento. A criança pestaneja, agarra e move a sua boca. O cabelo cresce na cabeça e o pêlo no corpo.

Os principais métodos de aborto são feitos a partir de envenenamento do feto por substâncias químicas ou então em clínicas onde procedimentos "despedaçam" o feto ainda "vivo", cortando e arrancando partes de seu corpinho.
Fico me perguntando em como existe quem consegue fazer algo assim, é um assassinato. Como matar um ser que está dentro da mãe, querendo crescer, querendo nascer, só pedindo uma chance para viver? E a mãe, que é tudo com quem essa futura criança pode contar nesse momento, vai lá e o liquida friamente. Bem, sabemos que isso é muito comum. Dados revelam que, pelo menos 1 em cada 5 mulheres já fez algum aborto.
Acho um absurdo em mundo onde existem tantos métodos contraceptivos, as pessoas chegarem a esse ponto. E acho que, uma vez ocorrida a concepção, que a mãe entregue o bebê para a adoção após nascido, que nem a menina de Juno.

beijos,

P.S.: acho que uma exceção para o aborto é quando a própria vida da mãe está em risco. Afinal, antes só o feto morrer do que mãe e filho.
Fontes: (vocês não acharam que eu sabia essas informações todas de cor, né?)

http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3769&ReturnCatID=763

http://vida.aaldeia.net/

http://aborto.aaldeia.net/

Um comentário:

  1. não poderia concordar mais com tudo o que vc disse.
    foi bom vir aqui, estava com saudades.

    tudo de bom,
    beijos luminha ;*

    ResponderExcluir