12 de novembro de 2011

Não precisa ler



Estou a nove dias de deixar te ter 18 anos. Ter 19 não me parece tão bom. É adulto demais. 18 anos ainda parece tão jovem, erros são aceitáveis como adaptação.

Sofro do mal da falta de sonhos. Não sei quais são meus sonhos ou objetivos. E a vida não está bem assim. Não sei o que quero em relação a nada e vou levando o tempo. É normal? Aceitável?

As coisas que sinto vontade de fazer parecem impossíveis, mas... é só vontade. Objetivo, sonhos. Cadê? Por que diabos tenho passado por isso nos últimos meses? Sempre fui tão esclarecida quanto aos meus objetivos na vida: ser médica, salvar crianças desnutridas e ganhar o nobel da paz.

Agora não tenho essa vontade. Sinto que persistir em não mudar é um erro. Vejo que não mudei em nada nos últimos 3 ou 4 anos. Exceto perder uns cinco quilos e aprender a comer salada. Ainda sou aquela mesma pessoa.

Outro dia vi uma foto minha aos 14 anos e vi a mesma coisa. Acontece que 4 anos depois sou a mesma, com as mesmas vontades, vivendo na mesma casa, com o mesmo filme preferido e ainda querendo casar com o harry pra virar princesa. Quero lutar contra o "adultismo" mas parece que isso não é certo, bom. Quando páro pra pensar que estou na universidade e sou uma adulta, que se quisesse largava tudo, trabalharia e me mandava pra um lugar qualquer, minha mente entra em paranóia. E fico off. Completamente off.

Queria congelar o tempo então. Porque não sei se um dia quero mudar. Acho que não. E não vou poder continuar sem mudar em nada pra sempre. A não ser que eu seja congelada numa câmara frigorífica.

Só acho que, se for pra ser adulta, que o seja direito. trabalhando, pagando as minhas contas. Sinto que enquanto eu não fizer isso não sou adulta. Mas não posso afirmar que ainda sou uma adolescente. Sou o quê então?Essa história de meio-termo sem nome é pra patricinhas ricas cujos pais podem bancá-las até que se tornem adultas. E eu, faço o quê?

Quando digo que queria ter meu dinheiro acho que é isso que eu quero. Ser adulta sem culpa. Não consigo nem pegar um iogurte na geladeira sem pedir permissão a mamãe. Mas que droga, por que não consigo ou não quero ou sequer posso deixar de ser assim?

De verdade, espero que o destino exista, porque eu não tô a fim de me culpar pelo oculto futuro que me aguarda.





2 comentários:

  1. Caramba, ando assim também ultimamente. Deve ser sintoma de que estamos nos tornando adultas. O que mais poderia ser?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. olá também tenho 19 anos, mas moro em Portugal... Por cá existe uma "crise económica" geral... E também estou dependente dos meus pais, dói mais porque já morei sozinha, já trabalho desde os 14 anos e fiz o secundário com notas exemplares, mas depois veio a crise, eu fiquei muito mal de saúde e desempregada e tive que voltar... o meu pai já está desempregado à anos, e tenho um irmão mais novo que estuda. Resultado: a minha mãe, que trabalha por horas, e nem sempre tem trabalho, sustenta-nos a todos. Eu adiei uma ida para a faculdade, porque não há dinheiro, e sinto cada vez mais que tenho que adiar o meu futuro à conta desta maldita crise... quero muito voltar a ter a minha casa, começar a planear ser mãe, mas não consigo ver como, e cada vez isto piora... e sim dói muito. e sim, também inventamos muitas soluçoes para coisas que antes julgariamos irremediaveis, e aprendemos muito a relativizar e a simplificar... posso dizer que dou mais valor às coisas que tenho agora (e muitas delas estou a desfazer-me) do que dava antes quando tinha dinheiro para comprar muita coisa

    esta fase, por muito má que pareça, vai passar, e irás aprender muito com ela, e tudo isto te tornará mais forte e mais adulta, boa sorte no teu caminho :)

    ResponderExcluir

12 de novembro de 2011

Não precisa ler