2 de março de 2010

Telemarketing e culinária

Ai, é tanta coisa que eu quero contar pra vocês!

Que quando eu tomo vergonha na cara para postar algo as coisas fogem da minha mente. Droga!

Bem, o meu livro, o Missão na Terra tem esquentado a minha cabeça. O lance é que eu fiz uma protagonista meio parecida comigo (não muito, sério mesmo, a gente tem várias diferenças). Mas é que às vezes eu comento que estou escrevendo um livro, aí alguém perguntta sobre o que é, e eu respondo. Só que fica parecendo que é uma "autobiografia". Mas NÃO É. E isso me irrita. Muito.

Aí eu estou há um tempão sem escrever, embora eu tenha escrito mais mil palavras ontem. Agora eu já tenho pouco mais de 45 mil palavras. Mas um livro razoável tem que ter pelo menos uns 60 mil. Então, pelo andar da história, acho que vai dar certinho.

Eu estava amando a chuva. Sério, se chove, Rio e as cidades adjacentes agradecem. Mas agora essa temperatura amena começou a complicar a minha vida. Mesmo.
 Porque mexer na minha internet é mexer comigo.
Eu estava tendo problema de acessar desde anteontem e ontem a noite liguei lá pra operadora(Oi, falo mesmo). A minha internet é 3G, porque é a única banda larga que existe para o meu bairro, aonde não tem fiação pra colocar uma Velox ou uma Net que seja. Mas o sinal é tão ruim, que parece a velocidade de uma discada. Minha mãe ia comprar o modem da Claro, mas ia sair mais caro ainda. Também, quem manda morar em fim de mundo?(resposta: dinheiro, ou melhor:a falta dele).

Falo primeiro com um cara chamado Rogério que tem sotaque paulista. Mas a ligação cai e eu falo com um outro cara chamado Rogério também. É claro que quando o segundo cara falou: "Boa noite. Aqui é o Rogério, em que posso ajudá-la?", eu virei e falei: "Ai, que bom que eu caí de novo na sua linha. Eu tava falando agora com você, Rogério. É que minha internet tá dando erro de conexão." Só quando o cara continuou a falar é que eu percebi que ele era outro Rogério, com um sotaque meio nordestino. Totalmente diferente do primeiro Rogério. Aí eu fui transferida para o Antônio Carlos, que tinha sotaque carioca e depois para o Rodrigo, que também tinha sotaque carioca.

Eu achei o Rodrigo super legal. Eu devo ser uma pessoa doente pra achar um operador de telemarketing legal. Mas o lance é que eu acho que ele também me achou legal. Porque a voz dele estava bem satisfeito. Vai ver porque eu era a primeira pessoa com quem ele falou ontem que não disse nenhum palavrão. É que quando eu ligo pra algum call center, eu entro na pilha. Quero dizer, eu fico falando que nem uma operadora de telemarketing também. Teco(meu irmão) diz que isso é extremamente irritante. Mas eu gosto. A mesma voz eu faço na hora de pedir pizza ou quando eu ligo pro disk gás porque o gás acabou.
Mas eu acho que eu só achei o Rodrigo legal porque ele resolveu meu problema.
Sério, ele mandou eu mudar umas configurações e ele disse que isso é culpa do mau tempo. Ótimo, agora eu não posso nem usar uma blusa de manga enquanto navego na internet. Agora estou aqui em internet 2G(lenta pakas) porque as nuvens diminuíram o sinal e não há sinal o suficiente pra conectar em 3G.

Participei de mais quinhentas promoções na internet e não ganhei nada. Estou participando de mais um monte. Essas que eu divulgo aqui do lado são só uma pequena parcela. Será que eu nunca vou ter sorte? Fala sério.

Hoje eu fui tentar fazer arroz no almoço. Nunca mais eu tento. Quero dizer, eu sei fazer um macarrão perfeito, mas só macarrão. Vocês lembram que em Lua de Cristal a personagem da Xuxa só sabia fazer sopa de legumes? Eu só sei fazer macarrão. (pergunta idiota , mas importante: por que não passa mais Lua de Cristal na Sessão da Tarde?)
Mas eu acho que o problema principal são as medidas que eu nunca acerto. Eu fico com medo do arroz ficar duro ou papa. Aí hoje eu coloquei uma certa quantidade de água. Mas o arroz secou e continuava duro. Aí eu tentei salvar, mexi e coloquei mais água. Aí continuou duro. Depois de seco novamente, coloquei mais um pouco de água e deixei cozinhar. Ficou papa.
Foi tudo pro lixo. E tanta gente passando fome no mundo. Me senti péssima. Pra quem não sabe, boa parte da minha neurose é devido ao fato de pensar o tempo todo nas criancinhas subnutridas que passam fome.
O que eu não sabia é o quanto arroz rende. Eu coloquei duas xícaras de arroz na panela, mas aquilo inchou de tal forma, que mais um pouco e a panela transborda. Surreal.

Teco chegou da escola, e adivinha o almoço? Pão, é claro. É que eu estava tão decepcionada/frustrada/desiludida com o arroz que não tava a fim de fazer comida (comida = macarrão). Meu irmão comeu dois eggcheeseburguer que eu fiz e eu comi só um pão com ovo e batata palha, porque eu estou evitando comer carne vermelha(evitando não é bem a palavra, estou cumprindo uma promessa que vai durar a eternidade). Vocês tem noção do que é isso? Almoçar pão com ovo e batata palha?
Claro que as criancinhas do Haiti adorariam. Mas aquilo é uma coisa que meninas que usam jeans 42, como eu, deveriam ser proibidas de comer. Na verdade, se meu pai, que é neurótico com comidas calóricas visse aquilo, iria ter um ataque cardíaco.

Mas nem tudo está perdido. Ainda existem restaurantes, comidas congeladas, e vários tipos de macarrão( ao molho branco, ao molho vermelho, gelado com maionese e atum - meu preferido...). Teco disse que meus filhos vão ter overdose de macarrão. Mas eu acho que não. Eu só tenho que casar com um cara que saiba cozinhar para que Artur, Ianaê, Bernardo, Mariane, Henrique e Jane / Melissa não passem mal de comer macarrão. Aí vai ser comida feita pelo papai todo dia. Sabe como é, família moderna.

Beeijos  =D

7 comentários:

  1. Luminha, ande com um bloco de anotações para aprisionar as idéias! (rs*)

    Está escrevendo sua autobiográfia, sério? (Vou parar de brincar!)

    Estava viajando e no lugar onde estava a conexão era bem ruim. Se Lullinha quer a inclusão social de todos, deveria começar por dar acesso à internet à todos. De que valem aqueles pczinhos nas escolas, se em casa a coisa não funciona?

    Sobre cozinhar arroz: Ele continua cozinhando mesmo depois de desligada a panela, por causa do calor retido dentro do grão. Se fizer o arroz um tempo antes de servir e estiver no ponto, pode adicionar água fria até cobrir o arroz, manter a panela tampada até a hora de servir que ele se manterá no ponto. Se provou o arroz e ele está duro, coloque ao invés de água fria, a água quente e mantenha a panela tampada, fogo desligado sempre, que o arroz chegará no ponto até a hora de servir.
    O ponto certo do arroz é 'al dente' assim como o macarrão, só que o arroz você mantém panela tampada para terminar o cozimento, ao contrário do macarrão.
    Esta dica de colocar água quente ou fria no arroz para ele chegar no ponto ou se manter no ponto, serve para economia de gás e também não colar o arroz no fundo da panela.
    Espero que tenha explicado direitinho! (rs*) Boa sorte! Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Querida Luma,
    não se preocupe, eu sei bem o que é morar em um bairro ruim por não ter condições economicas de morar naquele qe é o seu sonho.
    E sério, eu sei que a gnt é muito parecida, que chega a ser assustador.
    Já me inscrevi no concurso da Meg, e espero ganhar, a minha coleção da Meg esta um tanto o quanto desfalcada.
    Não se preocupe eu levei anos pra aprender a fazer arroz, e até então tudo o que eu sabia fazer era macarrão, e x-tudo.
    em todo caso, você aprende.
    agora eu sei fazer feijão, além do arroz . =D
    bem ... eu vim aqui falar uma coisa, e dai esqueci, mas agora vou ter que ir pq preciso fazzer um trabalho sobre a guerra fria. ;X

    beijos, beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. ahh tá, o que eu vim falar é que o negocio do meu perfil no blog, não fui eu que escrevi, o texto é da Clarice Linspector ( que eu acredito ser a pessoa que faltava pra completar nosso trio de irmãs gemeas personalmente (?)/se é que essa palavra referente a personalidade existe/)

    vc se encantaria com os textos dela ...

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Oi Luma,
    Quatro livros por dia é coisa de leitora compulsiva quando está com tempo livre e que precisa se conter para não mergulhar nas páginas e esquecer a vida real... É mesmo surreal, eu diria. Mas tenho testemunhas da minha loucura literária. Parar se torna um problema. É fato! Daí você pode imaginar minha biblioteca que engorda a cada dia e a falta de espaço para os meus livros. Então, quando estou de férias, nossa, haja controle. Nisso os e-books não contribuem em nada, porque só aumentam a tentação... rsrsrs.
    Quanto ao selinho de blogueira dedicada, vc merece sim! E os selinhos sempre ajudam a divulgar os blogs por aí... Gosto do seu blog porque ele fala de você e, por tabela, de gente que se sente ou já se sentiu como você. Acho que todo mundo que escreve, seja Literatura, ou mesmo sonhos, frustrações, ideias e expectativas, tenta alcançar algo ou alguém - de uma forma ou outra...
    Um beijo carinhoso, Bruna!

    ResponderExcluir

2 de março de 2010

Telemarketing e culinária

Ai, é tanta coisa que eu quero contar pra vocês!

Que quando eu tomo vergonha na cara para postar algo as coisas fogem da minha mente. Droga!

Bem, o meu livro, o Missão na Terra tem esquentado a minha cabeça. O lance é que eu fiz uma protagonista meio parecida comigo (não muito, sério mesmo, a gente tem várias diferenças). Mas é que às vezes eu comento que estou escrevendo um livro, aí alguém perguntta sobre o que é, e eu respondo. Só que fica parecendo que é uma "autobiografia". Mas NÃO É. E isso me irrita. Muito.

Aí eu estou há um tempão sem escrever, embora eu tenha escrito mais mil palavras ontem. Agora eu já tenho pouco mais de 45 mil palavras. Mas um livro razoável tem que ter pelo menos uns 60 mil. Então, pelo andar da história, acho que vai dar certinho.

Eu estava amando a chuva. Sério, se chove, Rio e as cidades adjacentes agradecem. Mas agora essa temperatura amena começou a complicar a minha vida. Mesmo.
 Porque mexer na minha internet é mexer comigo.
Eu estava tendo problema de acessar desde anteontem e ontem a noite liguei lá pra operadora(Oi, falo mesmo). A minha internet é 3G, porque é a única banda larga que existe para o meu bairro, aonde não tem fiação pra colocar uma Velox ou uma Net que seja. Mas o sinal é tão ruim, que parece a velocidade de uma discada. Minha mãe ia comprar o modem da Claro, mas ia sair mais caro ainda. Também, quem manda morar em fim de mundo?(resposta: dinheiro, ou melhor:a falta dele).

Falo primeiro com um cara chamado Rogério que tem sotaque paulista. Mas a ligação cai e eu falo com um outro cara chamado Rogério também. É claro que quando o segundo cara falou: "Boa noite. Aqui é o Rogério, em que posso ajudá-la?", eu virei e falei: "Ai, que bom que eu caí de novo na sua linha. Eu tava falando agora com você, Rogério. É que minha internet tá dando erro de conexão." Só quando o cara continuou a falar é que eu percebi que ele era outro Rogério, com um sotaque meio nordestino. Totalmente diferente do primeiro Rogério. Aí eu fui transferida para o Antônio Carlos, que tinha sotaque carioca e depois para o Rodrigo, que também tinha sotaque carioca.

Eu achei o Rodrigo super legal. Eu devo ser uma pessoa doente pra achar um operador de telemarketing legal. Mas o lance é que eu acho que ele também me achou legal. Porque a voz dele estava bem satisfeito. Vai ver porque eu era a primeira pessoa com quem ele falou ontem que não disse nenhum palavrão. É que quando eu ligo pra algum call center, eu entro na pilha. Quero dizer, eu fico falando que nem uma operadora de telemarketing também. Teco(meu irmão) diz que isso é extremamente irritante. Mas eu gosto. A mesma voz eu faço na hora de pedir pizza ou quando eu ligo pro disk gás porque o gás acabou.
Mas eu acho que eu só achei o Rodrigo legal porque ele resolveu meu problema.
Sério, ele mandou eu mudar umas configurações e ele disse que isso é culpa do mau tempo. Ótimo, agora eu não posso nem usar uma blusa de manga enquanto navego na internet. Agora estou aqui em internet 2G(lenta pakas) porque as nuvens diminuíram o sinal e não há sinal o suficiente pra conectar em 3G.

Participei de mais quinhentas promoções na internet e não ganhei nada. Estou participando de mais um monte. Essas que eu divulgo aqui do lado são só uma pequena parcela. Será que eu nunca vou ter sorte? Fala sério.

Hoje eu fui tentar fazer arroz no almoço. Nunca mais eu tento. Quero dizer, eu sei fazer um macarrão perfeito, mas só macarrão. Vocês lembram que em Lua de Cristal a personagem da Xuxa só sabia fazer sopa de legumes? Eu só sei fazer macarrão. (pergunta idiota , mas importante: por que não passa mais Lua de Cristal na Sessão da Tarde?)
Mas eu acho que o problema principal são as medidas que eu nunca acerto. Eu fico com medo do arroz ficar duro ou papa. Aí hoje eu coloquei uma certa quantidade de água. Mas o arroz secou e continuava duro. Aí eu tentei salvar, mexi e coloquei mais água. Aí continuou duro. Depois de seco novamente, coloquei mais um pouco de água e deixei cozinhar. Ficou papa.
Foi tudo pro lixo. E tanta gente passando fome no mundo. Me senti péssima. Pra quem não sabe, boa parte da minha neurose é devido ao fato de pensar o tempo todo nas criancinhas subnutridas que passam fome.
O que eu não sabia é o quanto arroz rende. Eu coloquei duas xícaras de arroz na panela, mas aquilo inchou de tal forma, que mais um pouco e a panela transborda. Surreal.

Teco chegou da escola, e adivinha o almoço? Pão, é claro. É que eu estava tão decepcionada/frustrada/desiludida com o arroz que não tava a fim de fazer comida (comida = macarrão). Meu irmão comeu dois eggcheeseburguer que eu fiz e eu comi só um pão com ovo e batata palha, porque eu estou evitando comer carne vermelha(evitando não é bem a palavra, estou cumprindo uma promessa que vai durar a eternidade). Vocês tem noção do que é isso? Almoçar pão com ovo e batata palha?
Claro que as criancinhas do Haiti adorariam. Mas aquilo é uma coisa que meninas que usam jeans 42, como eu, deveriam ser proibidas de comer. Na verdade, se meu pai, que é neurótico com comidas calóricas visse aquilo, iria ter um ataque cardíaco.

Mas nem tudo está perdido. Ainda existem restaurantes, comidas congeladas, e vários tipos de macarrão( ao molho branco, ao molho vermelho, gelado com maionese e atum - meu preferido...). Teco disse que meus filhos vão ter overdose de macarrão. Mas eu acho que não. Eu só tenho que casar com um cara que saiba cozinhar para que Artur, Ianaê, Bernardo, Mariane, Henrique e Jane / Melissa não passem mal de comer macarrão. Aí vai ser comida feita pelo papai todo dia. Sabe como é, família moderna.

Beeijos  =D

7 comentários:

  1. Luminha, ande com um bloco de anotações para aprisionar as idéias! (rs*)

    Está escrevendo sua autobiográfia, sério? (Vou parar de brincar!)

    Estava viajando e no lugar onde estava a conexão era bem ruim. Se Lullinha quer a inclusão social de todos, deveria começar por dar acesso à internet à todos. De que valem aqueles pczinhos nas escolas, se em casa a coisa não funciona?

    Sobre cozinhar arroz: Ele continua cozinhando mesmo depois de desligada a panela, por causa do calor retido dentro do grão. Se fizer o arroz um tempo antes de servir e estiver no ponto, pode adicionar água fria até cobrir o arroz, manter a panela tampada até a hora de servir que ele se manterá no ponto. Se provou o arroz e ele está duro, coloque ao invés de água fria, a água quente e mantenha a panela tampada, fogo desligado sempre, que o arroz chegará no ponto até a hora de servir.
    O ponto certo do arroz é 'al dente' assim como o macarrão, só que o arroz você mantém panela tampada para terminar o cozimento, ao contrário do macarrão.
    Esta dica de colocar água quente ou fria no arroz para ele chegar no ponto ou se manter no ponto, serve para economia de gás e também não colar o arroz no fundo da panela.
    Espero que tenha explicado direitinho! (rs*) Boa sorte! Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Querida Luma,
    não se preocupe, eu sei bem o que é morar em um bairro ruim por não ter condições economicas de morar naquele qe é o seu sonho.
    E sério, eu sei que a gnt é muito parecida, que chega a ser assustador.
    Já me inscrevi no concurso da Meg, e espero ganhar, a minha coleção da Meg esta um tanto o quanto desfalcada.
    Não se preocupe eu levei anos pra aprender a fazer arroz, e até então tudo o que eu sabia fazer era macarrão, e x-tudo.
    em todo caso, você aprende.
    agora eu sei fazer feijão, além do arroz . =D
    bem ... eu vim aqui falar uma coisa, e dai esqueci, mas agora vou ter que ir pq preciso fazzer um trabalho sobre a guerra fria. ;X

    beijos, beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. ahh tá, o que eu vim falar é que o negocio do meu perfil no blog, não fui eu que escrevi, o texto é da Clarice Linspector ( que eu acredito ser a pessoa que faltava pra completar nosso trio de irmãs gemeas personalmente (?)/se é que essa palavra referente a personalidade existe/)

    vc se encantaria com os textos dela ...

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Oi Luma,
    Quatro livros por dia é coisa de leitora compulsiva quando está com tempo livre e que precisa se conter para não mergulhar nas páginas e esquecer a vida real... É mesmo surreal, eu diria. Mas tenho testemunhas da minha loucura literária. Parar se torna um problema. É fato! Daí você pode imaginar minha biblioteca que engorda a cada dia e a falta de espaço para os meus livros. Então, quando estou de férias, nossa, haja controle. Nisso os e-books não contribuem em nada, porque só aumentam a tentação... rsrsrs.
    Quanto ao selinho de blogueira dedicada, vc merece sim! E os selinhos sempre ajudam a divulgar os blogs por aí... Gosto do seu blog porque ele fala de você e, por tabela, de gente que se sente ou já se sentiu como você. Acho que todo mundo que escreve, seja Literatura, ou mesmo sonhos, frustrações, ideias e expectativas, tenta alcançar algo ou alguém - de uma forma ou outra...
    Um beijo carinhoso, Bruna!

    ResponderExcluir