3 de janeiro de 2010

Confissões

Vamos lá, acho que eu preciso confessar meus pecados de início de ano.

O primeiro deles é: eu bebi Coca-cola ontem. Quero dizer, tipo, uns quatro copos de Coca ao longo do dia. Mas eu acho que não é tão sério, porque eu tava num churrasco e lá só tinha Coca-cola e Guaraná Antarctica. É, era pra eu ter bebido guaraná, porque aí eu poderia gerar mais empregos na Amazônia, que faz parte do meu país. Talvez um carinha que colhe guaraná lá no Acre, tava precisando de dinheiro pra sustentar seus nove filhos e eu não ajudei ele porque bebi Coca. Tô me sentindo um monstro depois de analisar isso.

Não escrevi nada no Missão na Terra esse ano ainda. Acho que terminando de postar aqui e de visitar uns 500 blogs eu vou lá. Afinal, a história já tá pronta e eu já passei da metade. É só terminar de revisar o que já escrevi(e espero que pela última vez), e escrever mais umas 40 páginas.

Estava pensando em idéias para a formatura. Como já tem a Colação de Grau e tudo mais, talvez a gente nem precise da Formatura em si. Será que tem como a gente deixar a Colação de Grau mais chique um pouco? Aí o dinheiro da Formatura vai pra viagem. Ontem falei com algumas meninas da escola e tivemos muita idéia boa pra arrecadar fundos. Afinal, em 2010, nós que vamos tomar conta de todos os eventos da escola. E a viagem, pensei em algum lugar mais perto. Acho muito chato se no fim das contas a gente for pra Porto Seguro. Todo mundo vai pra lá! E eu com essa minha mania de ser diferente não acho muito interessante. Acho que se a gente viajar pra um lugar mais perto é melhor, porque sai mais barato, mais gente vai poder ir, e quem sabe, a gente faz uma viagem que dura mais. Nisso, veio a idéia de Guarapari, no Espírito Santo( não adianta, agora não lembro quem lembrou de lá, só sei que não fui eu). Legal.
Tipo, quem fala do Espírito Santo? Nem no telejornal eles falam. Parece um lugar esquecido. Até a Ilha de Marajó - que é uma ilha - tem mais atenção.Meu, acho que o Espírito Santo nem sotaque tem!
Claro, que deve ter, mas a mídia não divulga pra gente. Sacanagem isso.
Acho que vai ser muito mais legal e diferente passar a viagem de formatura no Espírito Santo que na Bahia.

Agora eu estou aqui pra pedir desculpas mesmo. Eu não queria escrever isso aqui no blog, porque qualquer ser humano da Terra pode ver isso, mas como o problema é entre eu e todo o estado do Rio, eu acho que preciso pedir desculpas formais.
E deixar bem claro que eu não acredito em superstições. Não uso roupa branca no Ano Novo, e nem me importo de passar por baixo de uma escada.
Eu já tava há mais ou menos uns dois meses, precisando dar uma arrumação no meu quarto. É óbvio que considerando que eu divido meu lindo quartinho com meu irmão, ele deveria me ajudar. Mas ele é um preguiçoso e vivemos num mundo machista em relação a quem arruma o quarto.
Limpei todos os cantos - até atrás do guarda-roupa - mudei os móveis de lugar, ajeitei as cortinas cor-de-rosa(se meu irmão não quer me ajudar, dane-se, eu ponho cortinas cor-de-rosa), reorganizei todos os livros. Montei e desmontei o PC.
Mamãe chegou do trabalho e quase teve um ataque.Ela virou e disse pra mim: "Luma, arrumando o quarto? Vai chover!" Acho que é porque eu não fazia isso desde, tipo assim, NUNCA! Não pense que eu sou desorganizada. É só que a minha mãe parece que tem TOC. Meu quarto é até um tanto organizado. Tá sempre varrido, sem poeira nos móveis, com a cama arrumada. Só a mesinha do computador que está sempre cheia de livros, estojo, cardeninhos, etc.
Lá pras seis horas da tarde começou a relampejar e ter um monte de trovões. E veio uma chuva torrencial. Mesmo fechando todas as janelas do apartamento, ainda entrava água, pelos espacinhos entre a parede e a janela. (não pense que moro num fim de mundo - mas é que tava chuvendo muito mesmo). À noite, a chuva foi parando. Isso foi no dia 29 de dezembro.
No dia 30, eu acordei e mantive meu quarto organizado. E à noite, choveu de novo. Dessa vez, mais fraco, só que por mais tempo. É claro que eu não caí na pilha da minha mãe, achava que isso era normal, porque estamos no verão e aqui tá fazendo um calor surreal.
No dia 31 de manhã eu ligo a tv e vejo as notícias. Gente, o lance foi sério.
Na baixada fluminense - tá, isso é meio longe daqui - um monte de gente ficou desabrigada. Gente morreu. Isso é MUITO sério.
Depois eu soube, no telefone com Isa, que até Niterói - a cidade mais perfeita e que eu mais amo no mundo(se não fosse o calor de verão), a MINHA CIDADE - foi atingida. Deslizamentos - o google chrome tá dizendo que essa palavra tá errada, com essa ondinha vermelha embaixo, mas dane-se porque vai ficar assim mesmo - de terra, acabaram com a casa da prima dela. O menos pior é que todo mundo tá bem, graças a Deus!
Claro que eu fiquei nervosa. E mais desesperada ainda quando no dia 1º de janeiro, acordo e fico sabendo do que aconteceu em Angra dos Reis.
Na terça, dia 29, enquanto arrumava meu quarto, eu tava pensando: "Se eu tivesse grana agora tava numa daquelas ilhas de Angra e não arrumando meu quarto."
Óbvio que eu fiquei chocada. Eu continuo não acreditando em superstições mas eu ter arrumado a casa e depois ver o que aconteceu com aquelas pessoas me traz um sentimento meio estranho. Não estou me sentindo culpada nem nada (eu sou um monstro, né?), mas muito triste. Sei lá, só sei dizer que é estranho.

De qualquer forma, estou aqui há umas meia-hora, tempo que eu já teria escrito muita coisa no Missão na Terra. E claro, que eu poderia começar a escrever o conto de alguns capítulos que quero postar aqui em janeiro. E que eu poderia estudar pro vestibular.

Beijos, pessoinhas!!!
= ***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

3 de janeiro de 2010

Confissões

Vamos lá, acho que eu preciso confessar meus pecados de início de ano.

O primeiro deles é: eu bebi Coca-cola ontem. Quero dizer, tipo, uns quatro copos de Coca ao longo do dia. Mas eu acho que não é tão sério, porque eu tava num churrasco e lá só tinha Coca-cola e Guaraná Antarctica. É, era pra eu ter bebido guaraná, porque aí eu poderia gerar mais empregos na Amazônia, que faz parte do meu país. Talvez um carinha que colhe guaraná lá no Acre, tava precisando de dinheiro pra sustentar seus nove filhos e eu não ajudei ele porque bebi Coca. Tô me sentindo um monstro depois de analisar isso.

Não escrevi nada no Missão na Terra esse ano ainda. Acho que terminando de postar aqui e de visitar uns 500 blogs eu vou lá. Afinal, a história já tá pronta e eu já passei da metade. É só terminar de revisar o que já escrevi(e espero que pela última vez), e escrever mais umas 40 páginas.

Estava pensando em idéias para a formatura. Como já tem a Colação de Grau e tudo mais, talvez a gente nem precise da Formatura em si. Será que tem como a gente deixar a Colação de Grau mais chique um pouco? Aí o dinheiro da Formatura vai pra viagem. Ontem falei com algumas meninas da escola e tivemos muita idéia boa pra arrecadar fundos. Afinal, em 2010, nós que vamos tomar conta de todos os eventos da escola. E a viagem, pensei em algum lugar mais perto. Acho muito chato se no fim das contas a gente for pra Porto Seguro. Todo mundo vai pra lá! E eu com essa minha mania de ser diferente não acho muito interessante. Acho que se a gente viajar pra um lugar mais perto é melhor, porque sai mais barato, mais gente vai poder ir, e quem sabe, a gente faz uma viagem que dura mais. Nisso, veio a idéia de Guarapari, no Espírito Santo( não adianta, agora não lembro quem lembrou de lá, só sei que não fui eu). Legal.
Tipo, quem fala do Espírito Santo? Nem no telejornal eles falam. Parece um lugar esquecido. Até a Ilha de Marajó - que é uma ilha - tem mais atenção.Meu, acho que o Espírito Santo nem sotaque tem!
Claro, que deve ter, mas a mídia não divulga pra gente. Sacanagem isso.
Acho que vai ser muito mais legal e diferente passar a viagem de formatura no Espírito Santo que na Bahia.

Agora eu estou aqui pra pedir desculpas mesmo. Eu não queria escrever isso aqui no blog, porque qualquer ser humano da Terra pode ver isso, mas como o problema é entre eu e todo o estado do Rio, eu acho que preciso pedir desculpas formais.
E deixar bem claro que eu não acredito em superstições. Não uso roupa branca no Ano Novo, e nem me importo de passar por baixo de uma escada.
Eu já tava há mais ou menos uns dois meses, precisando dar uma arrumação no meu quarto. É óbvio que considerando que eu divido meu lindo quartinho com meu irmão, ele deveria me ajudar. Mas ele é um preguiçoso e vivemos num mundo machista em relação a quem arruma o quarto.
Limpei todos os cantos - até atrás do guarda-roupa - mudei os móveis de lugar, ajeitei as cortinas cor-de-rosa(se meu irmão não quer me ajudar, dane-se, eu ponho cortinas cor-de-rosa), reorganizei todos os livros. Montei e desmontei o PC.
Mamãe chegou do trabalho e quase teve um ataque.Ela virou e disse pra mim: "Luma, arrumando o quarto? Vai chover!" Acho que é porque eu não fazia isso desde, tipo assim, NUNCA! Não pense que eu sou desorganizada. É só que a minha mãe parece que tem TOC. Meu quarto é até um tanto organizado. Tá sempre varrido, sem poeira nos móveis, com a cama arrumada. Só a mesinha do computador que está sempre cheia de livros, estojo, cardeninhos, etc.
Lá pras seis horas da tarde começou a relampejar e ter um monte de trovões. E veio uma chuva torrencial. Mesmo fechando todas as janelas do apartamento, ainda entrava água, pelos espacinhos entre a parede e a janela. (não pense que moro num fim de mundo - mas é que tava chuvendo muito mesmo). À noite, a chuva foi parando. Isso foi no dia 29 de dezembro.
No dia 30, eu acordei e mantive meu quarto organizado. E à noite, choveu de novo. Dessa vez, mais fraco, só que por mais tempo. É claro que eu não caí na pilha da minha mãe, achava que isso era normal, porque estamos no verão e aqui tá fazendo um calor surreal.
No dia 31 de manhã eu ligo a tv e vejo as notícias. Gente, o lance foi sério.
Na baixada fluminense - tá, isso é meio longe daqui - um monte de gente ficou desabrigada. Gente morreu. Isso é MUITO sério.
Depois eu soube, no telefone com Isa, que até Niterói - a cidade mais perfeita e que eu mais amo no mundo(se não fosse o calor de verão), a MINHA CIDADE - foi atingida. Deslizamentos - o google chrome tá dizendo que essa palavra tá errada, com essa ondinha vermelha embaixo, mas dane-se porque vai ficar assim mesmo - de terra, acabaram com a casa da prima dela. O menos pior é que todo mundo tá bem, graças a Deus!
Claro que eu fiquei nervosa. E mais desesperada ainda quando no dia 1º de janeiro, acordo e fico sabendo do que aconteceu em Angra dos Reis.
Na terça, dia 29, enquanto arrumava meu quarto, eu tava pensando: "Se eu tivesse grana agora tava numa daquelas ilhas de Angra e não arrumando meu quarto."
Óbvio que eu fiquei chocada. Eu continuo não acreditando em superstições mas eu ter arrumado a casa e depois ver o que aconteceu com aquelas pessoas me traz um sentimento meio estranho. Não estou me sentindo culpada nem nada (eu sou um monstro, né?), mas muito triste. Sei lá, só sei dizer que é estranho.

De qualquer forma, estou aqui há umas meia-hora, tempo que eu já teria escrito muita coisa no Missão na Terra. E claro, que eu poderia começar a escrever o conto de alguns capítulos que quero postar aqui em janeiro. E que eu poderia estudar pro vestibular.

Beijos, pessoinhas!!!
= ***

Nenhum comentário:

Postar um comentário